Blog do Mauricio Stycer

Arquivo : SBT

Dois erros do bom Cozinha Sob Pressão: lançado com atraso e em horário ruim
Comentários Comente

Mauricio Stycer

cozinhasobpressao

O SBT divulgou na sexta-feira (19) qual será a missão dos chefs que participam do reality “Cozinha Sob Pressão” neste sábado (20). Eles terão que criar uma ceia de Natal com os ingredientes que vão encontrar em pacotes sorteados entre os candidatos.

A tarefa é muito semelhante à que ocorreu no episódio final de “MasterChef”, exibido pela Band na última terça-feira (16). Os três finalistas foram obrigados a criar um prato com peru. Luis foi eliminado na atividade, que antecedeu a última disputa entre Elisa e Helena, vencida pela primeira  .

A sensação de “déjà vu” ocorre em função de dois erros cometidos pelo SBT. Primeiro, a emissora demorou a lançar o programa e, quando o fez, sob o comando do chef Carlos Bertolazzi, o reality da Band já estava no ar fazendo muito sucesso. Segundo, o horário escolhido pela emissora para exibir a atração, às 18h15 de sábado.

Na época da estreia, escrevi que o SBT creditava ao horário escolhido a boa aceitação comercial do programa (estreou com cinco anunciantes). Pode ser.

Mas os dois erros seguramente diminuíram, e muito, a repercussão que “Cozinha Sob Pressão”, um bom programa, poderia ter alcançado. No vídeo abaixo, eu, Daniel Castro, Ricardo Feltrin e Flávio Ricco comentamos o caso na Retrospectiva UOL.

Stycer: “Cozinha Sob Pressão” é um bom programa, mas no momento errado


Ratinho diz que “brincou” sobre Luis Ricardo para não “apavorar a família”
Comentários Comente

Mauricio Stycer

luisricardoeratinho

Dez dias depois do sério acidente ocorrido com Luis Ricardo no palco de seu programa, o apresentador Ratinho justificou a atitude que tomou, ao informar ao público que nada de grave havia acontecido.

Recebendo Luis Ricardo nesta quinta-feira (18), o apresentador explicou: “Voltei correndo brincando porque não queria apavorar a sua família… Mas não foi só uma sapecadinha”.

Na noite do dia 9, depois que o ex-Bozo saiu correndo em direção aos bastidores com o rosto em chamas, Ratinho foi atrás dele e voltou com informações tranquilizadoras.“Foi um susto”, disse.  Em seguida, fez o comentário em tom de piada que chamou a atenção: “Deu uma sapecadinha no bigode”.

Mostrando as marcas das queimaduras no rosto e no pescoço, Luis Ricardo disse: “Foi um pouquinho mais grave. Foram seis dias terríveis. Muita dor”, disse sobre o período internado no hospital.

RatinhofogoLuis Ricardo sofreu queimaduras de primeiro e segundo graus ao fazer, ao vivo, um número com duas tochas acesas .

Dias depois do acidente, critiquei aqui no blog Ratinho por ter minimizado a gravidade do que aconteceu no palco do seu programa. Volto ao assunto hoje porque muitos leitores argumentaram que ele não tinha outra opção no momento do acidente a não ser tranquilizar o público.

Concordo que Ratinho não precisava alarmar os espectadores ou a família de Luis Ricardo. Mas não deveria dar informações erradas sobre uma situação que ainda não tinha condições de avaliar. Três horas depois do acidente, o “Jornal do SBT” falou que Luis Ricardo havia sofrido “apenas queimaduras superficiais”. Outra informação errada, como se viu.

Depois de mostrar as marcas no rosto e no pescoço, Luis Ricardo mostrou bom humor, ao encerrar a sua passagem pelo “Programa do Ratinho”, recomendando: “Não brinquem com fogo”. Eu acrescentaria: “Evitem dar informações erradas em casos de acidente”.

Veja o acidente:

Veja também
Luis Ricardo teve queimaduras de 1° e 2° graus na face, diz boletim médico
Apresentador Luis Ricardo é internado após sofrer queimaduras no “Ratinho”
Número com fogo no “Programa do Ratinho” acaba em acidente ao vivo
SBT minimizou gravidade do acidente com Luis Ricardo no programa do Ratinho

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.


Silvio Santos festeja 84 anos falando de sexo
Comentários Comente

Mauricio Stycer

SilvioSantosLola
Silvio Santos comemora 84 anos nesta sexta-feira, 12 de dezembro. Segundo o colunista Flavio Ricco, ele acaba de entrar de férias e, como de hábito, passará dois meses na Flórida.

No programa que vai ao ar neste domingo (14) no SBT, já gravado, ele recebe a bailarina Lola Melnick e o humorista Oscar Filho (ex-CQC) no “Jogo das 3 Pistas”.

O fato de Lola estar na capa da mais recente edição da “Playboy” serve de pretexto para Silvio fazer o que mais gosta nos dias de hoje: falar de sexo.

Em um dos diálogos com a dançarina, divulgado pela emissora, o apresentador nota que na capa da revista há uma menção a Marcelo Rezende. Rola então a seguinte conversa:

Silvio: Marcelo Rezende fala de sexo? Mas acho que ele só fala, porque já deve ter esquecido…
Lola: Você não confia que ele possa saber algo sobre sexo?
Silvio: Não, eu nem sei o que que é isso. Quando eu falo em sexo eu choro… Eu choro de saudade!

Olhando as fotos da bailarina, o apresentador observa:

Silvio: Lola, você consegue fazer essa posição aqui?
Lola: Consigo, eu sou muito talentosa, Silvio.
Silvio: Não é possível, você é de borracha.

Recém-desligado do “CQC”, da Band, Oscar Filho também será objeto de piada do apresentador: “Fabiano, ele está desempregado, então coloca ele nas gincanas! Durante doze semanas ele pode ir nas gincanas e ganha 200 reais cada vez que ele for.”

Veja também
Flavio Ricco: Silvio Santos entra em férias no SBT e leva a máscara na bagagem
Do site do SBT: 84 curiosidades sobre os 84 anos de Silvio Santos

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.


SBT minimizou gravidade do acidente com Luis Ricardo no programa do Ratinho
Comentários Comente

Mauricio Stycer

RatinhoLuisRicardo
Dois dias depois do acidente ocorrido ao vivo no “Programa do Ratinho”, parece claro que o SBT minimizou a gravidade do caso, que causou queimaduras no apresentador Luis Ricardo.

Como é sabido, o ex-Bozo se queimou no palco na terça-feira (09), ao fazer um número com duas tochas de fogo. No momento do acidente, ele correu, com a face em chamas, para os bastidores, seguido por Ratinho.

Depois de alguns instantes, Ratinho voltou ao palco e, tentando tranquilizar os espectadores, disse que estava tudo bem. “Foi um susto”, disse, antes de brincar que Luis Ricardo “deu uma sapecadinha no bigode”.

O acidente ocorreu por volta das 23h30. Somente três horas depois, às 2h30 da manhã, o “Jornal do SBT” falou oficialmente do assunto, informando que Luis Ricardo sofreu “apenas queimaduras superficiais”.

Na tarde desta quinta-feira (11), 40 horas depois, o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, divulgou boletim médico informando que Luis Ricardo segue internado se tratando de queimaduras de primeiro e segundo graus, “que comprometem a face e região cervical anterior”. Diz ainda o boletim: “Seu estado é estável e responde de forma favorável ao tratamento instituído”.

Em resumo, a situação de Luis Ricardo parece evoluir bem, felizmente, mas é bem diferente da descrita por Ratinho e pelo “Jornal do SBT”. “Queimaduras de segundo grau” não são a mesma coisa que “queimaduras superficiais”, como disse a emissora, e face e região cervical anterior são mais que “uma sapecadinha no bigode”.

Veja o acidente:

Veja também
Luis Ricardo teve queimaduras de 1° e 2° graus na face, diz boletim médico
Apresentador Luis Ricardo é internado após sofrer queimaduras no “Ratinho”
Número com fogo no “Programa do Ratinho” acaba em acidente ao vivo

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.


Número com fogo no “Programa do Ratinho” acaba em acidente ao vivo
Comentários Comente

Mauricio Stycer

Ratinhofogo“Não é para fazer em casa”, advertiu Luis Ricardo antes de mostrar um truque com duas tochas de fogo no “Programa do Ratinho” nesta terça-feira (09). A atração estava ao vivo e o resultado do número foi o pior possível.

Ex-intérprete do Bozo, ex-jurado do “Show de Calouros” e apresentador de sorteios da Tele-Sena, Luis Ricardo é figura bastante conhecida no SBT.

No momento de apagar o fogo, Luis Ricardo não conseguiu e viu as chamas em seu rosto. Assustado, num primeiro momento, Ratinho grita: “Meu Deus!” E corre atrás de Luis Ricardo em direção aos camarins, tentando ajudá-lo. “Ao vivo!!!”, ouve-se Ratinho gritar.

Posteriormente, o apresentador volta ao palco e diz que tudo não passou de “um susto”. Ainda brinca, dizendo que o artista “deu uma sapecadinha no bigode”. E, antes de encerrar o programa, informa: “Tudo bem”, diz.

Até 1h30 da manhã, mais de duas horas depois do acidente, o SBT não havia dado nenhuma informação oficial sobre o que ocorreu nem sobre o estado de saúde de Luis Ricardo.

Atualizado às 2h30: O “Jornal do SBT” relatou o acidente e informou que Luis Ricardo sofreu “apenas queimaduras superficiais”. Segundo Murilo Bordoni, produtor do programa, em mensagem postada no Twitter, o apresentador “não engoliu nem aspirou fogo”. O produtor disse ainda que o apresentador estava sob observação médica, mas repetiu Ratinho e garantiu que “foi só um grande susto”.

Veja o acidente:

Veja também
Apresentador Luis Ricardo é internado após sofrer queimaduras no “Ratinho”


Sem querer querendo, SBT mostra a Televisa mostrando o SBT
Comentários Comente

Mauricio Stycer

elianachavesO SBT dedicou boa parte de sua programação dominical para homenagear Roberto Bolaños, criador do seriado “Chaves”, que morreu na última sexta-feira (28). Foi uma cobertura para fã nenhum botar defeito – longa, emocionada, exagerada, repetitiva.

Chamo a atenção apenas para um momento curioso, creio que inédito, ocorrido durante o “Programa Eliana”. Com a tela dividida, a apresentadora comentava imagens do estádio Azteca, na Cidade do México, onde a Televisa promovia uma enorme homenagem a Bolaños.

Por coincidência, num dos momentos em que fez isso, a emissora mexicana estava mostrando imagens de Eliana apresentando, emocionada, o seu programa. Por alguns segundos, os espectadores das duas emissoras, então, viram a imagem acima: à esquerda, Eliana observando, à direita, Eliana vendo imagens do estádio Azteca.

Um momento que, em “Chaves”, talvez merecesse o bordão clássico: “foi sem querer querendo”.

A cobertura completa do UOL sobre a morte de Roberto Bolaños pode ser lida aqui

Veja também
Tributo a Bolaños tem ares de clássico de futebol e dramalhão mexicano

Em tempo: O curioso momento descrito neste texto pode ser visto no SBT aqui (1:59:34) e na Televisa aqui (1:06)

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.


“Chaves” e SBT, tudo a ver
Comentários Comente

Mauricio Stycer


Não é por acaso que o SBT exibe “Chaves” há cerca de 30 anos. O programa é a cara da emissora – tanto por suas qualidades quanto defeitos.

Reza a lenda que nem mesmo Silvio Santos, com seu faro apurado para tudo que é popular, gostou do seriado ao avaliá-lo pela primeira vez, no início dos anos 80. Ainda assim, o SBT começou a apresentar o programa em 1984.

“Chaves” pegou de jeito crianças nascidas a partir da década de 70. Até por uma questão de idade, não sou fã do seriado, nem de Roberto Bolaños (1929-2014), cuja morte ocorreu nesta sexta-feira (28). Mas é muito fácil entender por que foi tão amado.

O programa encanta as crianças e faz rir os adultos em parte por sua excessiva simplicidade. É uma opção coerente com o universo que retrata, mas que também deixa explícita a falta de recursos. Espero não ofender ninguém ao dizer que a produção mexicana é tosca mesmo, como muita coisa que o SBT fez ao longo de sua história.

Também funciona muito bem no seriado o fato de adultos interpretarem os principais papéis de crianças – o próprio Chaves (Bolaños), Quico (Carlos Villagrán) e Chiquinha (María Antonieta de las Nieves). Esse efeito só dá certo porque o texto cabe perfeitamente na boca dos bons atores e, no caso do Brasil, dos excelentes dubladores.

“Chaves” conta histórias que não fazem mal a ninguém, de uma grande ingenuidade e leveza. Os fãs enxergam profundidade onde há apenas bom senso, e veem graça na total falta de sentido de alguns ensinamentos, como “prefiro morrer do que perder a vida”.

Como uma boa comédia de situação (sitcom), “Chaves” tem personagens muito bem desenhados e contou com o talento de Bolaños como roteirista, sempre capaz de desenvolver variações em torno do mesmo tema sem que isso causasse incômodo para os fãs.

Ainda assim, esta é outra característica que me faz lembrar o SBT. “Chaves” repete as mesmas piadas e bordões indefinidamente, com a mesma sem-cerimônia com que a emissora reprisa os episódios do seriado.

“Chaves” já trocou de horário infinitas vezes nestes 30 anos e já foi tirado do ar em algumas ocasiões. Mais difícil é a decisão de excluí-lo definitivamente da grade. O seriado não combina com o sonho de o SBT se modernizar. Mas sacar da programação um programa tão amado é uma decisão difícil.

Aliás, o SBT explorou e reprisou tanto “Chaves” nestes 30 anos que não chega a ser uma surpresa, do ponto de vista estatístico, que estivesse passando um episódio do seriado quando foi anunciada a morte de Bolanõs. “Sem querer querendo”.

Veja também
Roberto Bolaños, criador de Chaves e Chapolin, morre aos 85 anos no México
Nem Jô Soares nem Didi; para quem nasceu nos 80, só Chaves importa
Querido no mundo, Bolaños colecionou polêmicas durante a carreira
Chaves pertence ao mundo de Didi, Chaplin e Peter Sellers


UOL Vê TV: Frase sobre Lula mostra Silvio Santos mais ligado do que parece
Comentários Comente

Mauricio Stycer

Silvio Santos mais uma vez chamou a atenção por seus deslizes e brincadeiras durante uma transmissão ao vivo, no caso, o Teleton. Mas, ao contrário do que aparenta, uma frase sobre a postura do ex-presidente Lula durante a campanha eleitoral revela que ele está muito ligado no que acontece atualmente:  “Esse negócio de que o Brasil está dividido em dois é conversa fiada do Lula” (veja no vídeo acima).

Na verdade, há dois Silvios – um é o personagem que fala e faz as mais variadas maluquices; outro, é o que analisa o cenário político e econômico do pais. Quem me chamou a atenção para a observação sobre Lula foi o blog Teleguiado.

Mais Silvio Santos no Teleton
“O seu marido te deixou há quanto tempo?”, pergunta Silvio Santos a Eliana
Ao lado da família Abravanel, Silvio Santos se confunde e comete gafe


Silvio Santos: “Sou um vendedor ambulante com alto-falante”
Comentários Comente

Mauricio Stycer

SilvioSantosRatinhoDatena1
Silvio Santos vai receber deste domingo (02) os apresentadores Ratinho e José Luiz Datena no “Jogo das 3 Pistas”. Pelo que o SBT já adiantou, vai ser engraçado. Alguns diálogos:

Silvio: Ratinho, você tem diploma do ensino fundamental?
Ratinho: Tenho. Eu fiz o segundo grau, que é antes de chegar na faculdade. Você é formado em alguma coisa? Nunca perguntaram isso para você?
Silvio: Sou… Vendedor ambulante. Só que agora sou vendedor ambulante com alto-falante.

Datena: Querem fazer um filme seu, você vai deixar?
Silvio: Não, não vou deixar porque já me avisaram: quando você der entrevista na televisão ou no rádio, fizer filme ou escrever livro, você morre, vai para o buraco. Todo mundo que tem livro, tem filme, já foi.

Datena: Tem certeza que é o “Programa Silvio Santos” esse aqui? Está parecendo um programa de sacanagem!
Silvio: Você entende alguma coisa, Datena? O seu negócio é vara, é polícia.

Datena: Vou te contar uma coisa: primeiro eu passei mal a noite toda porque eu ia fazer o programa com você, que é o Pelé da televisão, e com o Ratinho, que é um grande amigo e um extraordinário comunicador… Aí eu tomei aquele remedinho para ver se eu conseguia fazer alguma coisa com a patroa e a patroa tomou um remédio para dormir. Eu fiquei na mão!
Silvio: A sua patroa fez bem, preferiu dormir porque você só fala de polícia, ladrão e tiro.

Silvio: Ratinho, geralmente nós somos os últimos a saber… O Datena foi contratado para substituir você. Você foi mandado embora porque pegaram você com a italiana (Valentina).
Ratinho: Você fica falando essas coisas, dá problema lá na minha casa. Eu vou ficar desempregado e ainda sem mulher.

Datena: Eu viria correndo para cá (SBT), Silvio, mas eu não posso aceitar o seu convite porque eu já paguei multa pra caramba. Tanto que meu nome mudou de Datena para Detran.
Silvio: Datena, eu não acreditava que você iria pagar esse dinheiro todo de multa (para a Record), pagou integral?!


Cinco sugestões para melhorar os debates eleitorais
Comentários Comente

Mauricio Stycer

Todo mundo parece estar de acordo que os debates eleitorais nesta campanha de 2014 contribuíram muito pouco – ou nada mesmo – para esclarecer os eleitores. As razões para isso são conhecidas.

As assessorias dos candidatos impõem regras cada vez mais rígidas, infelizmente aceitas pelas emissoras. Os marqueteiros, no fundo, não querem que ocorram boas discussões. Para eles, é importante garantir que seus candidatos não saiam do roteiro estabelecido, o que faz os debates parecerem propaganda eleitoral.

Deixo para a reflexão cinco sugestões que, se adotadas no futuro, poderiam tornar os debates mais interessantes a quem importa, o eleitor:

1. A presença de jornalistas com direito a fazer perguntas: é uma forma de evitar que o candidato levante assuntos com o objetivo não de ouvir o que o outro tem a dizer, mas a fazer propaganda própria. Em alguns debates, no primeiro turno, até houve perguntas feitas por jornalistas.

2. Além de fazer perguntas, os jornalistas deveriam ter o direito de poder fazer réplicas. Como essa regra nunca é aceita, o jornalista faz uma pergunta, o candidato não responde e fica por isso mesmo.

3. Mediadores deveriam ter o direito de interromper os candidatos em algumas situações. Por exemplo, quando Dilma perguntou sobre Enem e Aécio respondeu sobre creches, o mediador deveria poder dizer: “Candidato, o senhor está fugindo do assunto”. Ou quando Aécio perguntou sobre corrupção no governo e Dilma respondeu falando de corrupção no governo Fernando Henrique. “Candidata, o assunto é outro”.

4. Banco de horas. Essa é uma proposta já apresentada este ano em conjunto por UOL, “Folha de S.Paulo”, SBT e Jovem Pan aos candidatos e nunca aceita. Em vez de limitar o tempo de cada resposta ou réplica, cada candidato teria direito a um número total de minutos em cada bloco e administraria esse tempo da forma que bem entendesse.

5. Ataques pessoais e ofensas deveriam ser punidos na hora por uma equipe da emissora em que o programa é exibido. Uma punição, por exemplo, poderia ser a perda do direito de fazer uma pergunta. Ou perda de tempo de resposta. Dessa forma os candidatos se sentiriam inibidos a partir para ataques gratuitos.

Texto e vídeo foram publicados originalmente aqui, no UOL Eleições 2014.

Veja também
. Debate presidencial eleva audiência da Globo em 40%
. Em debate engessado e sem jornalistas, é exagero ter dois apresentadores
. Debate rende maior audiência do ano para a Band
. Fama iludiu celebridades que disputaram eleição, mas não os eleitores