Blog do Mauricio Stycer

Arquivo : Renato Zanata

Ausências da Copa de 82: Reinaldo, Careca, Adílio, Tita e… Perivaldo
Comentários Comente

Mauricio Stycer

No mercado de livros com temática esportiva, “Sarriá 82 – O que faltou ao futebol-arte?” (Maquinária editora, 128 págs., R$32) é uma raridade. Baseado em ótima pesquisa, propõe uma análise corajosa, contra a corrente, sobre uma das equipes mais queridas pelo torcedor, a seleção brasileira que disputou, e perdeu, a Copa do Mundo de 1982, na Espanha.

Como escrevi no UOL Esporte, em texto publicado nesta terça-feira, o livro mostra os erros táticos cometidos pelo técnico Telê Santana. E apresenta, analisando dezenas de partidas disputadas por aquela seleção, diferentes alternativas ao time que foi derrotado pela Itália, no fatídico 5 de julho de 1982.

Em sua detalhada pesquisa, Gustavo Roman e Renato Zanata lembram de diversos episódios e personagens interessantes, que não consegui incluir no texto principal.

Sem dourar a pílula, lembram que Valdir Peres “tomou um dos maiores frangos da história das Copas”, na partida de estreia, contra a então URSS, vencida pelo Brasil por 2 a 1. E não deixam de rememorar que o árbitro deixou de marcar dois pênaltis claros a favor do adversário durante o jogo.

Na análise dos amistosos e jogos-treinos que antecederam a Copa, Roman e Zanata demonstram o erro que Telê cometeu ao preferir Dirceu a Adílio (esq.). Questionam a inexplicável não convocação de Reinaldo (dir.), que estava em boa  forma. Lembram do corte de Careca, por contusão, quatro dias antes da estreia.

Também descrevem muito bem um episódio fundamental, a ruptura de Tita (esq.) com o técnico, depois que o meia afirmou não querer atuar mais como ponta, pela direita, onde estava tendo a chance de ser titular, e preferir disputar posição no meio. Nunca mais foi convocado.

E, por fim, para o torcedor botafoguense, o livro lembra que, além do goleiro Paulo Sérgio, que foi à Copa como terceiro reserva, Telê convocou diversas vezes, em 1981 e 82, o lateral direito Perivaldo (dir.). Em uma partida, pelo menos, o folclórico Peri da Pituba atuou como titular, no amistoso contra a então Tchecoslováquia, em 3 de março de 1982, no Morumbi. Imagine Perivaldo no Sarriá!


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>