Blog do Mauricio Stycer http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br Espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor. Sun, 25 Aug 2019 22:05:55 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Choque de Cultura aproveita Capitão América para rir do Brasil atual http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/25/choque-de-cultura-aproveita-capitao-america-para-rir-do-brasil-atual/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/25/choque-de-cultura-aproveita-capitao-america-para-rir-do-brasil-atual/#respond Sun, 25 Aug 2019 21:57:05 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47142

Maurilio (Raul Chequer), Julinho (Leandro Ramos) e Renan (Daniel Furlan), do Choque de Cultura

“Capitão América 2: O Soldado Invernal” serviu de pretexto para o Choque de Cultura deitar e rolar após a exibição do filme, neste domingo (25), com uma série de comentários que fizeram alusão à realidade brasileira.

Rogerinho (Caito Mainier) abriu os trabalhos chamando a atenção para o fato de o Capitão América ser “o herói com menor poder que tem”. O que levou Julinho (Leandro Ramos) a fazer uma observação a respeito de porte e uso de armas: “Se o Capitão América não tem poder nenhum, ele podia, no mínimo, comprar uma metralhadora. Porque arma, nos Estados Unidos, é cultural. Não existe cara sem ter arma.”

O jornalista Jose Luiz Datena, apresentador do “Brasil Urgente”, na Band, foi lembrado por Rogerinho após a exibição de uma cena do filme que mostra um helicóptero filmando a ação da polícia:

“A polícia só não executou o Capitão América neste momento porque o helicóptero do Datena estava filmando. O Datena é um dos maiores defensores de direitos humanos deste país. Ele não deixa executar nenhum inocente antes da equipe dele chegar”, disse o comandante do “Choque de Cultura Show”.

A política nacional e a reforma da Previdência também foram lembradas a certa altura:

Rogerinho: Eu acho que esse Capitão América vai sair candidato a alguma coisa. O cara passa o tempo todo se ferrando. Ninguém faz isso sem querer algo em troca.
Maurílio (Raul Chequer): Mas o militar ele sempre age guiado por vocação, patriotismo e aposentadoria com salário integral.
Renan (Daniel Furlan): E pensão vitalícia para a filha solteira.
Julinho: Se esse Capitão América aí sai de prefeito pra Rio das Ostras, ele ganha mole. Não precisa nem mandar matar ninguém.

Em outro momento do debate, Julinho e Maurílio fizeram uma piada sobre hierarquia militar que pode ser entendida como dirigida ao atual governo:

Julinho: Se o Capitão América fosse bom mesmo ele seria General América, não seria capitão. Ninguém vai botar um capitão pra mandar em nada, gente, porque vai ter alguém com uma patente maior mandando nele. Isso é o básico.
Maurílio: O Astrólogo América.

Como diz Rogerinho, “polêmica é cultura”.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
Para explicar ódio de Josiane pela mãe, Walcyr lembra do caso Richthofen http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/25/para-explicar-odio-de-josiane-pela-mae-walcyr-lembra-do-caso-richthofen/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/25/para-explicar-odio-de-josiane-pela-mae-walcyr-lembra-do-caso-richthofen/#respond Sun, 25 Aug 2019 08:05:37 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47134

Maria da Paz (Juliana Paes) ouve o diagnóstico que a filha é psicopata

Walcyr Carrasco esperou “A Dona do Pedaço” chegar ao capítulo 84 para explicar um dos grandes mistérios da novela: por que Josiane (Agatha Moreira) odeia tanta sua mãe?

Como sabemos, Maria da Paz (Juliana Paes) criou a filha a base de pão de ló, com direito a tudo de melhor, mas a menina sempre teve restrições a ela. Reclamava que sofreu bullying na escola por ser filha de uma boleira. Achava a mãe brega, cafona. Nunca se conformou de ser chamada de Josiane; queria ser conhecida como Jô. Reclamava da mesada recebida. Sonhava ser uma princesa, mas era apenas uma menina rica e mimada.

Fomos obrigados a aceitar que estes motivos explicariam as atitudes que a jovem tomou nos últimos 60 capítulos. Resumidamente, a filha destruiu a mãe. Primeiro, roubou-a de todos os jeitos. Depois, fez o seu namorado, Regis (Reynaldo Gianecchini), seduzi-la e casar com ela. Convenceu-a a se endividar para comprar uma mansão. Conseguiu colocar o imóvel no seu nome. Também fez a mãe transferir a fábrica de bolos para o seu nome. Quando a mãe suspeitou que havia alguma coisa errada, foi expulsa pela filha de casa e da fábrica.

Reclamei várias vezes da falta de explicação para este ódio da filha pela mãe. Muitos espectadores se perguntaram por que Josiane maltratava tanto Maria da Paz. Até o “Fantástico” fez matéria tentando explicar este ódio exacerbado.

No sábado (24), finalmente, Walcyr Carrasco resolveu explicar. Escolheu a solução mais fácil, preguiçosa e rocambolesca que havia. Josiane é psicopata – e psicopatas não têm sentimentos. Para tornar a coisa ainda mais ridícula, o diagnóstico foi feito por Linda (Rosamaria Murtinho), a desocupada mãe de Beatriz (Natalia do Vale). Como assim? O autor nos informou agora que ela é uma professora com pós-graduação em psicologia.

“A Marlene (Suely Franco) disse que você é capaz de entender o que a minha filha tem”, falou Maria da Paz. “Bom, eu fiz pós-graduação em psicologia. Nunca exerci. Mas quando a Marlene me falou da sua filha, Maria da Paz, eu cheguei a uma conclusão”, respondeu Linda. Houve então o seguinte diálogo:

“Tudo leva a crer que ela é uma psicopata”, diz Linda (Rosamaria Murtinho)

Maria da Paz: Pode falar, eu aguento.
Linda: Pra mim é óbvio: a sua filha tem uma doença mental.
Maria da Paz: Doença mental?
Linda: Eu não me atrevo a fazer um diagnóstico direto assim, mas tudo leva a crer que ela é uma psicopata, Maria da Paz.
Maria da Paz: Psicopata? Você tá querendo dizer que a minha filha é doente? Tem uma doença?
Linda: Tudo indica que ela não tem sentimentos, ela não tem empatia pela dor dos outros.
Maria da Paz: Isso parece que não tem mesmo.
Evelina (Nívea Maria): É verdade. Em várias ocasiões ela não demonstrou nenhum sentimento com a morte de alguns familiares.

Além de optar pela solução mais fácil, a que não precisa de maiores construções do personagem, Walcyr também buscou dar alguma referência ao espectador e recorreu ao caso de Suzane Von Richthofen, a jovem de família rica que encomendou a morte dos pais ao namorado e ao irmão dele, em 2002.

A lembrança ocorreu na continuação da cena em que a boleira descobriu que a filha é psicopata.

Maria da Paz: Mas eu pensei que psicopata fosse, não sei, esses serial killers…
Linda: Há vários níveis de psicopata. A maioria são homens. Nas mulheres costuma ser mais fraco. Mas existem. A Marlene me disse que a sua filha…
Maria da Paz: Tomou a minha fábrica? Tomou.
Linda: Mas assim? Na frieza? Sem demonstrar nenhum afeto por você? Sem remorso?
Maria da Paz: Sem afeto, sem sentimentos e sem remorso. E ainda disse pra mim, com muita frieza, que tava tendo um caso com meu marido. Eu sinto vergonha porque eu fui burra, me sinto muito burra, muito idiota. Como pode eu não ter percebido? Eu não ter visto esse caráter da minha filha?
Marlene: Você não é burra. Eu já disse isso pra você. É que as mães têm uma certa dificuldade de ver as coisas ruins dos filhos. Vejam só o caso daquela moça aqui em São Paulo que matou os pais. Você acha que os pais teriam percebido que ela poderia uma coisa dessas?
Linda: Nunca. Mesmo porque os filhos podem ser dissimulados. É difícil.

Por fim, a personagem que fez pós-graduação em psicologia, mas nunca trabalhou na área, deu ainda algumas lições à boleira sobre o problema da filha:

Maria da Paz: Mas tem cura?
Linda: Maria da Paz, acredita-se que o psicopata é um problema biológico. Mas você não deve perder as esperanças.
Maria da Paz: Ela é mau caráter. Mas, seja lá o que for, a culpa é minha. Fui eu que errei na educação dela. E ela vai aprender. Vai aprender comigo.
Linda: Ela tem que aprender a respeitar os outros. Pra mim dizer alguma coisa está sendo difícil porque eu estudei, mas não exerço. Então, só quero ajudar.
Maria da Paz: Certo. Já entendi. Mas agora Josiane não me pega mais na curva. Eu é que vou pegar ela.

Alguém sabe dizer por que Josiane odeia tanto a mãe?

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
Em tempos de redes sociais, popularidade define escolha de ator de novela http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/25/em-tempos-de-redes-sociais-popularidade-define-escolha-de-ator-de-novela/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/25/em-tempos-de-redes-sociais-popularidade-define-escolha-de-ator-de-novela/#respond Sun, 25 Aug 2019 08:01:24 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47127

Marina Ruy Barbosa e Bruna Marquezine na novela “Deus Salve o Rei”

Longe da TV aberta desde 2016, quando fez um papel pequeno em “Êta Mundo Bom”, Maria Zilda deu uma entrevista boa demais ao jornalista Paulo Sampaio. Falou de vários assuntos interessantes e, com verve, mergulhou em temas polêmicos e picantes. Recomento muito a leitura.

Sobre televisão, Maria Zilda lamentou: “Não tem mais avó em novela”. E tocou em um ponto sensível. “Um diretor amigo meu me contou outro dia que eles estavam fazendo a escalação de uma novela e ficaram em dúvida entre duas atrizes jovens. Aí, um deles disse: ‘Escolhe essa aqui que dá mais clique’. Aí, você pega atrizes como eu, a Renata Sorrah, que eu nem sei se tem Instagram, a Debora Duarte, a Lúcia Alves, ninguém é chamado. A TV Globo acabou.”

Maria Zilda não citou exemplos, mas muita gente lembrou, lendo as suas declarações, da escalação das duas protagonistas de “Deus Salve o Rei” (2018), novela das 19h da Globo. Bruna Marquezine e Marina Ruy Barbosa são verdadeiras campeãs em números de seguidores, mas não se mostraram, creio, as melhores escolhas para os papéis.

Maria Zilda não é a primeira a fazer esta reclamação sobre o advento do ator-celebridade. Em 2017, Nathallia Rodrigues publicou em seu perfil no Facebook que perdeu uma oportunidade profissional por não ter um número considerável de seguidores. Ela contou que um produtor, interessado em indicá-la para um trabalho, sugeriu que ela “comprasse” seguidores –um expediente possível, por meio de “robôs” digitais.

E isso ocorre não só no Brasil, claro. A atriz Sophie Turner, a Sansa de “Game of Thrones” reconheceu em uma entrevista: “Muito do que alcancei se deve ao timing e à sorte, mas também, e odeio dizer isso, ao grande número de seguidores nas redes sociais”, disse.

No “Vídeo Show”, após a saída de Monica Iozzi, foram feitas diferentes experiências com apresentadoras que não tinham nenhuma experiência no ramo, mas eram celebridades no Instagram, como Sophia Abrahão e três ex-participantes do “BBB”. Não funcionou.

Além do ator-celebridade, também existe o jornalista-celebridade. Ao anunciar a contratação de Mari Palma e Phelipe Siani, a CNN Brasil destacou o alcance que eles têm nas redes sociais: “A credibilidade de ambos e o estilo informal nas reportagens e apresentações despertaram o interesse de milhões de telespectadores e seguidores e conquistaram a simpatia e reconhecimento do público.”

São os novos tempos. É preciso reconhecer o impacto das novas mídias e entender como elas agem e influenciam decisões da velha mídia.

Stycer recomenda
. JN compara Bolsonaro a Lula e dá lição ao presidente sobre reflorestamento

. Análise: SBT faz 38 anos em 2º no ibope e cheio de desafios

. “Sextou mais cedo pra mim”, diz Sheherazade sobre afastamento do SBT Brasil

. Friends ou Seinfeld? A web faz debate para decidir qual sitcom é melhor

Melhor da semana
Sucesso na TV e no cinema, Maurício Manfrini ri até do próprio sequestro

Pior da semana
UOL Vê TV: O que há de errado com o Programa da Maísa?

Este texto, originalmente, foi acessado por quem está inscrito na newsletter UOL Vê TV, que é enviada às quintas-feiras por e-mail. Para receber, gratuitamente, é só se cadastrar aqui.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
Galvão é imparcial até com o filho e volta à Stock Car é pontual, diz Globo http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/24/galvao-e-imparcial-ate-com-o-filho-e-volta-a-stock-car-e-pontual-diz-globo/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/24/galvao-e-imparcial-ate-com-o-filho-e-volta-a-stock-car-e-pontual-diz-globo/#respond Sat, 24 Aug 2019 08:01:32 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47124

Galvão Bueno e o filho Cacá no programa Altas Horas, em 2016

Causou muita surpresa o anúncio de que Galvão Bueno vai narrar neste domingo (25), durante o “Esporte Espetacular”, uma etapa da temporada de Stock Car em Interlagos. Afinal, o motivo que levou a Globo a afastá-lo desta competição em 2004 não foi superado até hoje: um de seus filhos, Cacá Bueno, ainda disputa a categoria.

Como o próprio Galvão contou em entrevista ao programa “Grande Círculo”, em abril deste ano, coube ao então diretor da Central Globo de Esportes, Marco Mora (1946-2018) afastar o narrador sob o argumento, corretíssimo, de que não pegava bem ele narrar as provas que seus filhos, Cacá e Popó Bueno, disputavam.

Galvão aceitou o veto, mas não gostou. “Eu sempre escutei o que o Marquinhos falava. Não gostei, mas ficou por isso mesmo”, contou na entrevista ao programa do SporTV.

Após uma série de mudanças no Esporte da Globo, ocorridas nos últimos dois anos, o narrador contou que se sentiu à vontade para pleitear um retorno à Stock Car. “Tanto não ficou tão bem resolvido isso que, confesso a vocês, outro dia tive uma conversa com a Joana (Thimoteo), a nossa nova diretora de eventos aqui, e disse: ‘Joana, tô com vontade de narrar umas corridinhas de Stock, o que você acha?’ E ela: ‘Eu dou a maior força’.”.

O resultado foi a escalação de Galvão para narrar a sétima etapa da Stock Car 2019, a chamada de “Corrida do Milhão”, que ocorre este domingo. Cacá Bueno, pentacampeão na categoria, ocupa o oitavo lugar na atual temporada.

O que mudou? Por que a Globo não considera mais inadequado Galvão narrar uma competição em que o filho participa? Fiz esta pergunta à emissora, que não respondeu diretamente, mas afirmou que o narrador já deu inúmeras provas de sua imparcialidade, mesmo narrando provas disputadas pelos filhos, e que a volta neste domingo “é pontual”.

Disse a Comunicação da Globo: “Galvão já narrou, entre tantas outras provas de automobilismo, diversas corridas da Stock Car, inclusive as disputadas por seus filhos. Sempre com imparcialidade e sem que isso tivesse qualquer influência na disputa esportiva. Sua escalação para narrar a Corrida do Milhão é pontual, em uma etapa emblemática da temporada, que se destaca por sua premiação especial”.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
Com ajuda da lei da terceirização, CNN Brasil fala em ter 700 funcionários http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/23/com-ajuda-da-lei-da-terceirizacao-cnn-brasil-fala-em-ter-700-funcionarios/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/23/com-ajuda-da-lei-da-terceirizacao-cnn-brasil-fala-em-ter-700-funcionarios/#respond Fri, 23 Aug 2019 20:19:28 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47118

Os jornalistas Evaristo Costa, Américo Martins e Douglas Tavolaro, da CNN Brasil

Uma grande reportagem sobre a CNN Brasil publicada esta semana na revista “Go Where Business” revela alguns novos detalhes sobre a operação do canal de notícias 24 horas no país.

A empresa confirma a intenção de contratar 700 funcionários, sendo 400 jornalistas, mas acrescenta que uma parte deles (não especifica quantos) será terceirizada. “O modelo de otimização se espalha por outros setores da empresa. Seu quadro de funcionários está sendo montado aproveitando ao máximo os benefícios da lei de terceirização e da reforma trabalhista”, diz a reportagem.

Aprovada no governo Temer, a chamada “lei da terceirização” permite que empresas contratem funcionários terceirizados para executar atividades-fim, ou seja, as principais funções da empresa. Até então, a terceirização era permitida apenas para as chamadas atividades-meio, como serviços de limpeza, manutenção e segurança, por exemplo.

A CNN Brasil pretende recorrer a este expediente para ter correspondentes em diferentes locais do Brasil. Da mesma forma, possivelmente, serão terceirizados profissionais das áreas técnicas diretamente ligados à produção de conteúdo. A reportagem da “Go Where Business” registra que o jornalista Douglas Tavolaro, CEO do canal, deixou a palavra “terceirização” escrita em destaque na lousa que tem em sua sala, na sede provisória da empresa.

A CNN promete produzir 16 horas de programação ao vivo por dia – e exibir apenas oito horas de material gravado previamente. É um volume alto, que exige muito equipamento e mão de obra. O canal fala em estrear ainda em 2019, no último trimestre do ano.

Segundo a reportagem, Tavolaro recebeu no início de 2018 uma proposta da CNN International Commercial para desenvolver o projeto de uma franquia da CNN no Brasil. Cabe a esta divisão da CNN o licenciamento da marca. Ainda segundo esta narrativa, com a ajuda de um grupo de jornalistas, Tavolaro conseguiu que o seu projeto fosse aprovado. Só então ele partiu em busca de um sócio-investidor, chegando no nome de Rubens Menin, dono da construtora MRV e do banco Inter.

O licenciamento, segundo o texto, terá duração de 30 anos.

Ainda segundo a reportagem, Record, SBT e RedeTV! tentaram, em diferentes momentos, licenciar a marcar CNN no Brasil, mas não conseguiram. Segundo o texto, “a emissora do bispo Edir Macedo foi rejeitada logo de início por dois motivos: as ligações com uma religião e com o PRB (Partido Republicano Brasileiro). A proximidade de igrejas e partidos políticos fere as normas da CNN. Nos anos 90, o SBT e, mais recentemente, a Rede TV, também tiveram suas propostas rechaçadas pela falta de investimento em jornalismo ou meramente por fragilidade financeira.”

“Não seremos nem de direita nem de esquerda. Faremos jornalismo”, diz Tavolaro, repetindo promessa feita em entrevista ao blog, em janeiro. Américo Martins, vice-presidente de conteúdo, acrescenta: “Em tempos de fake news, abrimos mão de sermos os primeiros, se a informação não estiver confirmada. Nosso objetivo é um só: estarmos certos”.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
Junto com “13 Reasons Why”, Netflix lança vídeos de apoio a jovens e pais http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/23/junto-com-13-reasons-why-netflix-lanca-videos-de-apoio-a-jovens-e-pais/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/23/junto-com-13-reasons-why-netflix-lanca-videos-de-apoio-a-jovens-e-pais/#respond Fri, 23 Aug 2019 08:01:03 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47106

Ao lançar nesta sexta-feira (23) a terceira temporada de “13 Reasons Why”, a Netflix se apressou em divulgar, também, seis vídeos curtos, gravados por atores da série, com informações e alertas sobre temas delicados mencionados nos episódios, como bullying, depressão e uso de drogas.

A ação é uma resposta às muitas críticas que a empresa recebeu por exibir as duas primeiras temporadas da série sem tantos cuidados e advertências sobre a gravidade dos temas tratados.

Os seis vídeos formam praticamente uma cartilha, extremamente didática, que ajuda o público-alvo, adolescente, a refletir sobre o que viu na ficção. Um dos vídeos, “Entendendo o consentimento”, ensina, por exemplo: “A agressão sexual é um tema comum em 13 Reasons Why. Personagens questionam como suas decisões impactaram o resultado. Alguns personagens ignoraram os sinais de consentimento”.

E assim vai, com breves aulas, também, sobre violência armada e diálogo entre pais e filhos. “Por conter assuntos complicados da vida real, algumas dessas cenas são difíceis de assistir e existem ferramentas disponíveis para os espectadores poderem decidir por si mesmos o que é apropriado para eles e buscar ajuda se precisarem”, avisa a Netflix.

Há pouco mais de um mês, a empresa anunciou ter cortado a cena do suicídio da personagem Hannah (Katherine Langford) na primeira temporada de “13 Reasons Why”, lançada em 2017. Foi uma resposta às muitas críticas sobre o impacto da cena e também a diferentes estudos que mostraram o aumento do interesse por informações sobre suicídio por causa da série.

Os vídeos de apoio estão legendados em português. Veja o vídeo “As muitas formas de bullying”. Para ver os demais, basta clicar nos links abaixo:

Outros vídeos:
. Como identificar os sinais da depressão
. A importância do consentimento
. Como falar com alguém sobre abuso de álcool e drogas
. Conversando com adolescentes sobre 13 Reasons Why
. Como reconhecer sinais de potencial ameaça de violência física

Veja também
Por que “13 Reasons Why” foi o 6º assunto mais pesquisado no Google em 2017
Pesquisa vê relação entre ’13 Reasons Why’ e maior interesse por suicídio

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
Para promover “A Fazenda 11”, Record faz Mion reviver cena de “ET” http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/22/para-promover-a-fazenda-11-record-faz-mion-reviver-cena-de-et/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/22/para-promover-a-fazenda-11-record-faz-mion-reviver-cena-de-et/#respond Thu, 22 Aug 2019 20:05:47 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47094

Com estreia programada para 17 de setembro, a 11ª edição da “Fazenda” tem, aparentemente, muitos candidatos dispostos a participar. Ao menos, esta é a mensagem que a Record quer passar adiante com o “teaser” (veja acima) divulgado nesta quinta-feira (22).

No vídeo, o apresentador Marcos Mion é assediado nas ruas com pedidos para participar do reality show. A bordo de uma bicicleta, ele tenta fugir da perseguição, até que decola, numa imitação bem-humorada, mas simplória de uma cena icônica do cinema, do filme “ET: O Extraterrestre” (1982), de Steven Spielberg.

O reality show distribuirá R$ 2 milhões em prêmios, sendo R$ 1,5 milhão para o vencedor. Segundo a emissora, a edição deste ano do “clássico dos realities” vai trazer muitas novidades ao público e aos peões que participarão do jogo.

A edição anterior, a primeira sob o comando de Mion, foi vencida pelo cantor Rafael Ilha, que recebeu o prêmio milionário; João Zoli ficou em segundo lugar, recebendo um carro zero quilômetro.

Veja também
A Fazenda: 11ª edição estreia em setembro e com retorno de Marcos Mion

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
UOL Vê TV: O que há de errado com o Programa da Maísa? http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/21/uol-ve-tv-o-que-ha-de-errado-com-o-programa-da-maisa/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/21/uol-ve-tv-o-que-ha-de-errado-com-o-programa-da-maisa/#respond Wed, 21 Aug 2019 08:01:37 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47092

No início do ano, o anúncio da estreia do “Programa da Maisa” foi motivo de comemoração. Era o sinal de que o SBT, finalmente, estava olhando para frente, para o futuro. O reconhecimento que a maior estrela da casa merecia um programa pra chamar de seu. Mas, cinco meses depois, a atração apresenta problemas. Este é o tema do UOL vê TV desta semana (veja o vídeo acima).

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
Nos EUA, “Apocalipse” é a melhor audiência de canal de língua espanhola http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/20/nos-eua-apocalipse-e-a-melhor-audiencia-de-canal-de-lingua-espanhola/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/20/nos-eua-apocalipse-e-a-melhor-audiencia-de-canal-de-lingua-espanhola/#respond Tue, 20 Aug 2019 18:59:16 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47086

Lançada na última semana, a novela “Apocalipse” se tornou o programa mais visto do canal UniMás, dedicado aos espectadores de língua espanhola. A novela da Record está indo ao ar nos EUA em dois horários quase seguidos, às 21h e às 22h30, substituindo outra trama bíblica da emissora, “Jesus”.

Na primeira semana de exibição, “Apocalipsis” registrou audiência média de 500 mil espectadores no primeiro horário e 180 mil no segundo. O canal pertence ao grupo Univision, com sede em Miami.

Curiosamente, no Brasil, “Apocalipse” (2017-18) não foi bem de audiência e chegou a ter números inferiores à reprise de “Os Dez Mandamentos”, que a Record exibiu na mesma época.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0
JN compara Bolsonaro a Lula e dá lição ao presidente sobre reflorestamento http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/19/jn-compara-bolsonaro-a-lula-e-da-licao-ao-presidente-sobre-reflorestamento/ http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2019/08/19/jn-compara-bolsonaro-a-lula-e-da-licao-ao-presidente-sobre-reflorestamento/#respond Tue, 20 Aug 2019 00:12:49 +0000 http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/?p=47078

Num tom pouco comum, o “Jornal Nacional” nesta segunda-feira (19) questionou a visão do presidente Jair Bolsonaro sobre política ambiental e mostrou que ele está errado quando se refere ao desmatamento na Alemanha.

Após apresentar uma reportagem que exibiu o efeito de queimadas no Mato Grosso – as maiores nos últimos sete anos – e a falta de recursos para combater os incêndios, o apresentador William Bonner leu um texto didático sobre o assunto. A principal referência foi a uma fala de Bolsonaro, em resposta à decisão do governo alemão de suspender o envio de recursos para proteção ambiental no Brasil.

Bonner primeiro comparou a postura de Bolsonaro à do ex-presidente Lula: “Quando a Alemanha e a Noruega anunciaram a suspensão do envio de recursos para a proteção da floresta amazônica, o presidente Jair Bolsonaro repetiu uma postura que o então presidente Lula adotava quando estrangeiros criticavam a política ambiental do Brasil. Os dois presidentes afirmaram que a Europa destruiu todas as suas florestas e que, por isso, não tem moral para dar conselhos sobre a Amazônia”.

Bonner acrescentou: “Mas nos últimos cem anos a Europa enfrentou duas guerras mundiais, o fim do comunismo e viu o surgimento da União Europeia. E apesar de todas essas transformações políticas e econômicas, cientistas afirmam que o continente se tornou mais verde. Hoje, depois de uma política de intenso reflorestamento, quase metade do território europeu é coberto por florestas” (veja o vídeo abaixo).

Em seguida, uma reportagem lembrou: “A (conferência) Rio 92 estabeleceu que cada país tem a sua própria obrigação, mas o meio ambiente é um assunto de todos. Diante de dados alarmantes, governos brasileiros tão diferentes têm pelo menos uma reação em comum: ignorar esse combinado de 27 anos atrás.”

O telejornal resgatou, então, uma fala de Lula, na qual ele diz: “Fico pensando que a Amazônia é que nem aqueles litros de água benta que tem na igreja: todo mundo acha que pode meter o dedo. Nós não podemos permitir que as pessoas tentem ditar as regras do que a gente tem que fazer na Amazônia.” E, em seguida, a de Bolsonaro, da semana passada: “Eu queria até mandar recado para a senhora querida Angela Merkel, que suspendeu 80 milhões de dólares pra Amazônia. Pega essa grana e refloreste a Alemanha, tá ok? Lá está precisando muito mais do que aqui”.

Resposta

No Twitter, a equipe que mantém o perfil do ex-presidente Lula questionou a comparação: “O Jornal Nacional, ao comparar Lula e Bolsonaro sobre Amazônia, esqueceu disso”, escreveu, publicando o link de uma reportagem da BBC, de maio de 2014, com o seguinte título: Brasil é exemplo de sucesso na redução do desmatamento, diz relatório.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

]]>
0