Blog do Mauricio Stycer

Detetive Vê TV: Cinco furos no último capítulo de “A Lei do Amor”

Mauricio Stycer

01/04/2017 06h01


Em uma novela tão atribulada quanto “A Lei do Amor”, seria esperar demais que o último capítulo não deixasse inúmeros fios soltos. Mr. Novela, um antigo colaborador do blog, enumerou alguns problemas do derradeiro episódio da trama das 21h..

1. O segredo de Isabela: Revelado que Marina era mesmo Isabela (Alice Wegmann), os autores esqueceram de explicar como ela conseguiu forjar todo o “passado” de Marina no Rio, checado minuciosamente por Tião Bezerra (José Mayer). Flavia (Maria Flor) a ajudou a forjar a história no Rio? Como?

2. Gledson e Wesley: Os personagens sumiram! Gledson (Raphael Ghanem) não apareceu nem com a mãe Mileide (Heloisa Perissé), nem com sua musa Luciane (Grazi Massafera). E nem com Wesley (Gil Coelho). Terminaram juntos?

3. Tião entrevado: O grande vilão da novela (José Mayer) havia mandado matar Magnólia (Vera Holtz), mas sofreu um derrame ao vê-la se matar. Tudo bem. Foi preso em razão dos crimes delatados por Valdir. Mas havia alguma prova contra ele? Ele foi preso pela palavra de Valdir?


4. O mendigo Hércules: Por que o filho de Magnólia virou mendigo? Não tinha guardado uma fortuna? Quais foram as reações de Tiago (Humberto Carrão), Ana Luiza (Bianca Muller) e Camila (Bruna Hamú) ao saber que o pai (Danilo Granghéia) era um assassino? E eles sabem que o pai virou um mendigo? A família sabe? E Hércules não deveria ter sido preso? Fininho (Hugo Resende) não tinha gravado as conversas deles?

5. Aline na rua: A vilã júnior (Arianne Botelho) virou garota de programa de luxo e, no fim da história, uma prostituta decadente. Ok. Mas os seus pais, Yara (Emanuelle Araujo) e Misael (Tuca Andrade), não se preocuparam em saber o que ocorreu com ela? E seu namorado de infância, Marcão (Paulo Lessa), o que aconteceu com ele?

Veja também
A Lei do Amor bate recorde, mas vai terminar com segundo pior Ibope das 21h
Mág morre atropelada por trem e Marina é Isabela no fim de “A Lei do Amor”
Desfigurada e retalhada, “A Lei do Amor” termina como uma “novela Frankenstein”

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo