Blog do Mauricio Stycer

“Morte do anão” eleva a audiência do “Pânico”

Mauricio Stycer


Espécie de guindaste da audiência do “Programa do Gugu”, na Record, o anão Marquinhos está ajudando também a concorrência. Neste domingo (21), o “Pânico na Band” explorou o assunto ao longo de todo o programa, conseguindo, ao final, a sua melhor audiência no ano: 8 pontos de média e pico de 10.

A turma do “Pânico” escalou o anão Pedrinho para a tarefa de entrevistar Marquinhos e, ainda, numa paródia do “Programa do Gugu”, ganhar um carro. O encontro dos dois anões, como é possível imaginar, foi um evento surreal, com direito a perseguição de carro pelas ruas de São Paulo e diálogos dignos desta onda atual de comédias do cinema brasileiro.

“Você está se achando o anão mais rico do Brasil ou é o Nelson Ned”?, mandou Pedrinho. “Eu só sou um cara humilde”, respondeu Marquinhos. Outra pergunta: “Por que você acha que os anões hoje estão tão valorizados?” Resposta: “Antigamente, os anões eram muito valorizados. O pessoal fazia muita figuração. Hoje, eu abri a porta para os anões de todo o Brasil. Inclusive, tem vários programas imitando”.

Para ganhar um carro, tal como ocorreu com Marquinhos no “Programa do Gugu”, Pedrinho teria que enfrentar uma gincana. A sua obrigação era atravessar uma passarela estreita, sem cair. No chão, dois Rottweiler latiam, ameaçadoramente. Os humoristas Bolinha (como Gugu) e Bola (como o assistente de palco Liminha) estimulavam o anão a fazer a travessia. Uma anã, apresentada como mulher de Pedrinho, rezava. E duas panicats dançavam.

Como de hábito, o “Pânico” enrolou até o final para mostrar a “prova”. Finalmente, prestes a completar o percurso, Pedrinho caiu do alto da passarela e foi devorado pelos cães. Tudo de brincadeira, é claro. As panicats e os humoristas festejaram a “morte do anão” com uma chuva de papel picado.

Só faltou o enterro. Quem sabe no próximo domingo.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo