Blog do Mauricio Stycer

Tufão lê Kafka, Flaubert, Machado de Assis, Dostoievski e não aprende nada

Mauricio Stycer

Uma das ótimas sacadas de “Avenida Brasil” foi fazer uma espécie de merchandising social, promovendo clássicos da literatura por meio de dois personagens centrais da trama.

Interessada em abrir os olhos de Tufão para as maldades de Carminha, Nina presenteou o patrão com uma série de livros. Ele não apenas se interessou, como incorporou o  hábito da leitura à sua rotina.

O ex-jogador de futebol leu “A Metamorfose”, de Kafka, “A Interpretação dos Sonhos”, de Freud, “Madame Bovary”, de Flaubert, “Dom Casmurro” e “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, “O Primo Basílio”, de Eça de Queiroz, e desde o capítulo desta sexta-feira (21/9)  está lendo “O Idiota”, de Dostoievski.

O que chegou a parecer uma boa propaganda para a literatura de qualidade, hoje pode ser visto de outra forma. O herói da novela leu todos estes livros e continua tão idiota quanto no primeiro capítulo. Será que a solução é ver novela?