Blog do Mauricio Stycer

A cena da semana: Justus explica que seu topete não é um topete

Mauricio Stycer

Entre as muitas atrações do “Programa da Tarde”, o novo vespertino da Record, comandado por Ana Hickmann e Britto Jr., uma me chamou a atenção – o quadro “Uma tarde em minha casa”.

Na terça-feira (11/9), a apresentadora convidou o público a conhecer o apartamento duplex do publicitário Roberto Justus e da modelo Ticiane Pinheiro. “Ricos, famosos, bem-sucedidos e admirados, eles formam um dos casais mais glamurosos da televisão brasileira”, explicou.

Ao longo dos 33 minutos da visita, conhecemos o quarto de brinquedos da filha do casal, o closet de Ticiane e, no momento mais badalado, o banheiro de Justus. Dentro das instalações, deu-se a seguinte e esclarecedora convesa:

Ana: Foi a Ticiane a responsável por mudar o seu penteado?
Justus: Nós estávamos em férias na Bahia. Eu saí de uma piscina com o cabelo todo pra trás. Ela falou: ‘Por que você não usa esse cabelo todo pra trás?’ Posso falar? Minha vida mudou. (…) Ele fica (arrumado), não preciso mais me preocupar o dia inteiro.
Ana: O que você fazia antes?
Justus: Antes eu não fazia nada. Mas precisava ficar penteando. (…) Agora, uma coisa que todo mundo fica enchendo a minha paciência é com negócio de topete. Não tenho topete. Aonde eu tenho topete?
Ana: Você não tem topete.
Ticiane: É maldade.

Verdade. Fica, então, combinado que o topete de Justus não é um topete.

O quadro pode ser visto aqui (a conversa sobre o topete começa no minuto 28).  Sobre a estreia, escrevi o texto “Programa da Tarde” estreia sem foco e com apelação pesada.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo