Blog do Mauricio Stycer

Futebol derruba audiência da Globo e reprise de “Ídolos” tem mais audiência do que na estreia

Mauricio Stycer

Evito escrever sobre audiência, mas achei este caso realmente curioso. Veja como é difícil entender os humores do público:

Na terça-feira, a Record estreou a nova temporada de “Ídolos”. O programa foi ao ar assim que terminou “Avenida Brasil”, na Globo, e alcançou média de 6 pontos no Ibope. Na mesma faixa de horário, o seriado “Tapas e Beijos” obteve 27 pontos e o SBT, com a reprise de “Uma Prova de Amor”, com Cameron Diaz, marcou 8. Já a Band, com “Quem Fica em Pé?” e “A Liga”, ficou com 3.

Na quarta-feira, a Record estreou “Ídolos Kids” (foto), versão do concurso de calouros estrelada por crianças. O programa foi ao ar, como na véspera, logo depois do encerramento da novela e teve média de 10 pontos no Ibope. Nesta faixa de horário, a atração competiu com a transmissão de Figueirense e Corinthians, que rendeu 22 pontos para a Globo e 5 para a Band. No SBT, “Cante se Puder” marcou 7 pontos.

Empolgada com a audiência de “Ídolos Kids”, a Record colocou no ar, assim que o programa terminou, uma reprise do “Ídolos” exibido na véspera. Audiência? Também 10 pontos, quase o dobro da alcançada um dia antes.

O que explica isso? Entre as muitas hipóteses e teorias da conspiração, a mais evidente é o fato de que o futebol, no caso, o Corinthians, derrubou a audiência da Globo e, também, que menos gente assistiu televisão na quarta-feira.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo