Blog do Mauricio Stycer

Em nome da audiência, Luciana Gimenez promove debate do além

Mauricio Stycer

O debate no programa de Luciana Gimenez na RedeTV! nesta segunda-feira superou os limites em matéria de absurdo. Tentando faturar com a morte de Angelina Figueiras, irmã de Ângela Bismarchi, confinada na “Fazenda 5”, a apresentadora lançou a seguinte questão: “Espírito de Angelina: É possível irmã de Ângela Bismarchi estar com ela no reality?”

Para desenvolver o argumento, foi convidado a falar Robério de Ogum, vidente célebre por suas previsões a respeito de famosos e celebridades. E ele não deixou por menos, como informou o “SuperPop”: “Sobrenatural: Robério de Ogum afirma que irmã de Ângela Bismarchi está no reality”.

Luciana colocou lenha na fogueira com aquele seu jeitinho, aparentemente desinformada: “Será que a pessoa que morreu tem o poder de voltar pra Terra e estar com a pessoa amada, ajudando ou prejudicando?” Uma jornalista, convidada a dar o seu palpite, saiu-se com esta: “O médium é ele. Eu não vim aqui para julgar se de fato ela está lá ou não.”

Polêmica, a legenda que informava o tema do debate foi depois substituída por algo um pouco mais ameno: “Robério de Ogum afirma que espírito da irmã de Ângela Bismarchi está no reality”. Mesmo assim, deu confusão quando o cirurgião plástico Wagner de Moraes, marido de Ângela, entrou em campo.

“A minha mulher está forte hoje porque ela tem um grande Espírito Santo do lado dela. Ela é guerreira. Ela não precisa de um segundo espírito do lado dela”. A produção do “SuperPop” providenciou, então, uma nova legenda para o caso: “Marido de Ângela Bismarchi nega que espírito de Angelina esteja no reality”. Ufa!

E a apresentadora ainda deu o seu palpite: “O Robério afirma que a irmã dela está ali do lado. E eu acho, ai eu já tô tirando a minha conclusão, que se a irmã está do lado é pra ajudar.”

Ajudar quem? A audiência do “SuperPop”?

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo