Blog do Mauricio Stycer

A cena da semana: Cesar Tralli sugere exame antidoping para bandeirinha

Mauricio Stycer

A poucos minutos do final de Corinthians e Santos, no Pacaembu, partida que valia uma vaga na final da Libertadores, o auxiliar Altemir Hausmann entrou em campo para sinalizar onde os jogadores do Peixe deveriam se posicionar na cobrança de uma falta a favor dos corintianos. Correndo, ele desenhou um semicírculo, e não apenas uma linha, com o spray. O gesto, muito curioso, teve enorme repercussão. No dia seguinte, quinta-feira, no “SP TV 1ª Edição”, Tiago Leifert, Cesar Tralli e Arnaldo Cesar Coelho comentaram o caso na Globo, ironizando a atitude de Hausmann.

Tiago Leifert: Ele é um artista plástico. Resolveu fazer um grafite no fim do jogo. Deixar sua marca. Uma intervenção artística no Pacaembu. Arnaldo Cesar Coelho, o que deu no Altemir Hausmann?
Arnaldo Cesar Coelho: Ele queria mostrar que tem que ficar a 9,15 m da bola. Ele então fez um semicírculo a 9,15 m da bola. O Altemir Hausmann, árbitro da Fifa, esteve na Copa do Mundo, é um pintor.
Cesar Tralli: Mas você acha que é caso de exame anti-doping?
Arnaldo: Não. Ele estava muito excitado. Faltavam poucos minutos. Ele se empolgou, quis aparecer. Faltou aquela melancia no pescoço.

A conversa foi editada pela Globo num vídeo intitulado “Arnaldo Cesar Coelho comenta 'arte' de bandeirinha no duelo entre Corinthians e Santos''.  Disponível na sexta-feira, quando o vi, o link que conduzia ao vídeo aponta desde sábado para “Ops! Página não encontrada''. Mas há várias cópias o You Tube.

Mais informações: Um relato sobre o gesto de Hausmann você pode ler aqui. E um comentário do próprio bandeirinha sobre a repercussão de seu gesto você lê aqui. Já o vídeo com a cena está aqui. E  conversa de Tralli, Leifert e Arnaldo pode ser vista aqui.