Blog do Mauricio Stycer

Danilo Gentili repete problemas do programa do Jô

Mauricio Stycer

Lançado no final de junho de 2011, o “Agora É Tarde” rapidamente foi visto como um concorrente viável ao “Programa do Jô”. Exibido inicialmente às quartas e quintas, dois meses depois da estreia o programa passou a ir ao ar também às terças. Danilo Gentili largou o “CQC” no final do ano para se dedicar com exclusividade ao projeto e, agora, em abril de 2012, o talk show ganhou um quarto dia de exibição, às sextas.

Com a mesma rapidez com que se estabeleceu, o talk show da Band já repete problemas e cacoetes bem conhecidos do público de Jô Soares. O mais irritante deles talvez seja o que chamei de “brodagem corporativa”, ou seja, a insistência em convidar estrelas da própria emissora para falar.

Normalmente, estas entrevistas têm o propósito de divulgar algum novo programa ou atividade do convidado. No início do ano, o elenco de “Mulheres Ricas'' pintou e bordou no talk show, sem que nada de interessante ou relevante tenha sido falado. Quando Sabrina Sato esteve com Gentili, no final de março, o apresentador até tentou tratar de assuntos diferentes, mas a estrela do “Pânico” o lembrou: “Vamos falar mais do 'Pânico' porque eu vim aqui pra isso''.

Eventualmente a participação de uma estrela “da casa” no “Agora É Tarde” pode servir também para tapar algum buraco na programação. Foi o que transpareceu na entrevista com o ex-jogador Denilson, hoje comentarista da Band, que não tinha assunto nenhum a tratar com Gentili.

O texto que escrevi sobre a “brodagem corporativa” nos talk shows foi publicado no dia 1º de abril e pode ser lido aqui por assinantes do UOL e da Folha de S. Paulo. A entrevista que fiz com Gentili para o “UOL Vê TV'' pode ser vista aqui. E meu comentário sobre a estreia do “Agora É Tarde'' está aqui.