Blog do Mauricio Stycer

Arquivo : julho 2011

Gays em novelas, no noticiário e o marketing da responsabilidade social
Comentários Comente

Mauricio Stycer

Três notícias sobre o mesmo assunto estão no noticiário nesta terça-feira:

No UOL, Aguinaldo Silva, autor da próxima novela das 9 na Globo, “Fina Estampa”, diz: “E agora eu decidi que beijo gay só na minha casa. Na novela, não. Não é questão (da emissora) deixar ou não. Eu acho que as pessoas não aceitam. Fiz uma enquete e 75% das pessoas disseram não querer ver beijo gay na televisão. Então acho que esse assunto deve ficar em banho-maria por uns 25 anos”.

Na “Folha”, a coluna Outro Canal informa que Gilberto Braga e Ricardo Linhares, autores da atual novela das 9, “Insensato Coração”, foram orientados pelo diretor-geral de entretenimento da emissora, Manoel Martins, a esfriarem a trama que envolve os personagens homossexuais Eduardo (Rodrigo Andrade) e Hugo (Marcos Damigo). “Além do corte das cenas, os autores foram instruídos a não carregarem bandeira política, a pararem de fazer apologia pela criação de uma lei que puna a homofobia”, diz a nota.

No “Bom Dia Brasil”, noticiário matinal da Rede Globo, a primeira notícia do dia, depois da leitura da “escalada”, foi lida por Renato Machado: “O Brasil é o país com maior número de crimes contra gays no mundo. São 200 mortes todo ano.”

Tanto Aguinaldo Silva quanto a direção da Globo argumentam que existe rejeição do público a cenas com homossexuais em novelas. Dentro da lógica comercial que rege o mercado de televisão no Brasil, não faz sentido, de fato, oferecer ao público algo que o ofenda. Mas se a emissora tivesse, realmente, preocupação com “responsabilidade social”, como apregoa em campanhas de marketing, tenho a impressão que saberia agir de forma diferente neste caso.

As novelas da Globo já deram “lições” (algumas chatíssimas, inclusive) sobre  doação de órgãos,riscos do consumo de drogas, combate ao preconceito racial, defesa dos direitos dos idosos, entre tantas outras “causas” a respeito das quais a emissora julgou necessário adotar um papel “educativo”. O combate à homofobia, pelo visto, ainda é uma fronteira a ser superada internamente, na Globo.


“Furo MTV” chega à 500ª edição com corpinho de 20ª
Comentários Comente

Mauricio Stycer

“Brasil perde jogo e Galvão chora no ombro de Casagrande”, anuncia Dani Calabresa. “São Paulo fica cheia de favelas e Regina Casé comemora”, prossegue a humorista, lendo as manchetes principais da edição. Está começando a 499ª edição do “Furo MTV”, um dos raros programas capazes de rir da programação da televisão brasileira.

Longe de ser original, a mistura de notícias reais com comentários absurdos encontrou na MTV, uma emissora com público-alvo claramente definido e audiência bruta menos significativa, um ambiente propício a se desenvolver com maior liberdade.

Com poucos recursos, erros expostos e algum improviso, o “Furo MTV” é uma espécie de guerrilheiro, cuja maior diversão é rir dos concorrentes, dos famosos e das celebridades. Com frequência, faz isso com inteligência e graça, mas também, eventualmente, escorrega e apela para grosserias.

Não menos importante, o programa sabe rir de si mesmo e da própria emissora. São constantes as menções à falta de humor dos roteiristas, às dificuldades de produção e aos cuidados que hoje são obrigados a tomar para evitar problemas judiciais.

Os apresentadores, ambos humoristas talentosos, seguem afiados depois de 499 programas. Dani Calabresa, engraçada sem fazer esforço, e Bento Ribeiro, com seu tipo entediado, se complementam bem nas piadas e maldades escritas para o programa.

Um bom exemplo do humor do “Furo MTV” foi a forma como explorou na edição de segunda-feira a declaração de Cássia Kiss à revista “Veja”, sobre cirurgia plástica: “Detesto plástica e botox. Odeio quem faz”, disse a atriz.

“Ela se odeia?”, perguntou Bento, antes de apresentar fotos de uma série de figuras famosas “odiadas por Cássia Kiss”, a saber: Ana Maria Braga, Elza Soares, Eliana, Gloria Menezes, Hebe Camargo, Daniela Albuquerque, Claudete Troiano (“essa eu não sei quem é”, disse Bento), Amaury Jr., Dedé Santana e a menina Maísa (“que tem lá seus 40 anos”, disse).

O “Furo MTV” vai ao ar às 21h30. Nesta terça-feira, a emissora promete um programa especial para comemorar, como anunciaram os apresentadores, “as 500 intermináveis edições”.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>