Blog do Mauricio Stycer

Ex-usuário defende a forma como “Passione” apresenta viciado

Mauricio Stycer

Reproduzi na semana passada a reclamação de um “pai revoltado” sobre a forma como Silvio de Abreu tem abordado a questão das drogas em “Passione”.  Segundo o leitor, um experiente professor, com formação em Química, a novela presta um mau serviço ao não mostrar que tipo de droga o personagem Danilo, vivido por Cauã Reymond, utiliza. O leitor também criticava o fato de a novela enfatizar apenas os efeitos negativos das drogas, mas não expor o prazer inicial que proporcionam.

O texto provocou uma série de comentários muito interessantes (publicados na versão anterior do blog). Também recebi muitos e-mails, com elogios e críticas ao autor da mensagem, e alguns depoimentos. Uma mãe me escreveu sobre o drama de ter um filho em casa viciado em crack. Segundo ela, o retrato pintado por Silvio de Abreu na novela é perfeito. “Pela descrição que vi sobre a trajetória do personagem Danilo, posso assinar embaixo que é exatamente o que vivi com meu filho”, escreveu. E mais:

Não acredito que a alegria momentânea reverta o quadro geral, que é a grande tragédia do usuário de drogas!  Acho até que pode-se falar do prazer, sim, ao consumir a droga, mas já o fato de mostrar a que ponto chega o usuário e sua família é realidade e peso suficiente para que as pessoas consigam perceber ao menos um pouco do tamanho da encrenca!!!

Também recebi um e-mail de um ex-usuário de drogas, “limpo” há dez anos, cujo depoimento veio, igualmente, em apoio à forma como a questão das drogas está sendo abordada na novela. Com seu consentimento, reproduzo trechos:

Na verdade, a questão de mencionar as drogas é o que menos importa. Eu tinha a minha ‘droga de preferência’. Digamos que eu seja um dependente ativo, aí estou vendo o Danilo se ferrando e tal e coisa, de repente vejo a droga que ele está usando, cara, toda a identificação que eu teria, se a droga não for a mesma, desaparece. O co-dependente (familiar) não percebe isso, mas nós, adictos em recuperação, temos um trabalho muito sério dentro da irmandade anônima sobre isso.

Existe o IP (informação ao público) que vai falar para escola, profissionais, enfim em todo lugar que não se refere aos doentes (adictos) e temos o HI (hospitais e instituições), aonde servi por muitos anos no começo da minha recuperação, e vamos falar com pessoas que tem problemas com drogas. Não falamos em tempo de uso e nem sobre drogas usadas, para não plantarmos diferenças. A semelhança está no sentimento, nas atitudes, no desespero, no roubo para mais uma, enfim…

Eu vejo o Danilo na novela e consigo me identificar com ele mesmo sem saber o que ele usa e há quanto tempo ele usa. Talvez se eu souber o que seja eu posso perder minha identificação. A abordagem está muito boa. Pois não centraliza num único aspecto. Ali pega tanto o dependente de cocaína (quando ele funga) quanto o dependente de maconha (quando ele fica lesado) quanto o de crack, quando ele vai pra beco, quanto os de bolinha, quando ele toma comprimido. O trabalho tem que ser feito no sentimento e atitudes e não na droga…

Por tudo isso, o leitor não gostaria que Danilo venha a ser visto na novela como um viciado em crack, como anuncia-se que ocorrerá. Conclui ele:

Gostaria muito que, se realmente pensam em colocar que ele está dependente de crack, que revogassem essa idéia. Pois aí o que está ajudando iria atrapalhar…

  1. Paulo

    20/09/2010 15:49:00

    A novela mais prejudica do que ajuda no tema. Primeiro faz com que pareça que todas as drogas são iguais e que provocam os mesmos efeitos. E faz parecer que todos usuários de drogas tem os mesmos problemas, e que todas as drogas são igualmente viciantes. Menos de 10% dos usuários de maconha tem problemas de vício com a droga, do álcool o número é ainda maior, com o crack o número chega a 70%. São drogas diferentes, efeitos diferentes, problemas diferentes e índices de vício diferentes, ignorar isso é chamar o telespectador de burro, e deixa quem já não tem informação ainda mais mal informado.

  2. cris taganay casimiro dantas

    18/09/2010 17:35:15

    tudo tranquilo se so fosse depoimentos de criticas, o que é normal,. Agora esse debates tem um ponto positivo, a novela está atingindos a todos, o Brasil não está totalmente cego com as coisas que acontecem, isso mostra que ainda tem muita gente que se importa e quer sim dar uma ajuda ou apenas refletir no mal que drogas tras não somente aos usuários mas , familiares e a sociedade que não tem nenhum recursos pra ajudar. É precária as poucas clínicas pra pessoas de baixa renda...

  3. Geraldo Ramos Junior

    18/09/2010 10:49:50

    Como que não mostra o prazer e/ou parte boa da droga. Quando ele começou a usar a droga era para se dar bem no esporte em que praticava, todo seu 'reconhecimento' foi devida a droga, foi a parte boa mostrada na novela. Até mesmo por que, a parte boa da droga é no psicológico do usuário e não tem como mostrar isso em imagens. As pessoas deveriam prestar mais atenção na mensagem que é passada e parar de criticar por criticar.

  4. Verlinda Vera

    18/09/2010 10:45:13

    Acho perfeito o modo como é mostrada a tragédia vivida pelo Danilo e sua familia.Não interessa mesmo que tipo de droga ele usa e sim a devastação que causa.E se no começo ele fica feliz....como quando dançava feito um retardado na boate, agora mostra a ressaca da droga e dependencia total, a tragédia de não conseguirse livrar...é perfeito, e o Cauã está ótimo aliás......

  5. CAROL

    17/09/2010 14:30:54

    Quase não acreditei quando li o que a Lara escreveu e reproduzo " Nem todo usuário de droga fica viciado e chega no fundo do poço como sempre retratam nas novelas da Globo. Deveriam mostrar que pessoas normais, trabalhadoras e felizes podem fumar maconha diariamente, regularmente ou socialmente e ainda sim levam uma vida normal" Tenho um irmão que entra e sai de clínicas, a novela mostra sim a realidade e a devastação que a droga causa numa famíla, independente de sua classe social. Pessoas normais e felizes fumando uma maconha, todos começam normais e felizes Srtª Lara, mas pouquissímos levam uma vida normal. Alias não conheço ninguém que fuma maconha de vez em quando, uma vez ao dia e seja " normal'. Independente da droga, além do vício em si, existem os efeitos colaterais devastadores... E que a Globo sempre mostre o lado devastador... porque esse é o único lado que existe para a família e para a sociedade...

  6. Day

    17/09/2010 13:24:10

    Eu sinceramente, achei muito exagerada a forma como o Danilo fica. E muito mal feita a entrega de drogas para ele, pois o traficante sempre tira a droga do bolso e tal. Acho que a novela deveria sim mostrar a parte 'boa' das drogas, pois se fosse somente a parte ruim, ninguém usaria.

  7. Alice

    17/09/2010 08:50:10

    Hello! O tema aqui é o usuário de drogas na novela e o que pode refletir na sociedade.Chega dessa ladainha da Diana!

  8. Maria

    17/09/2010 08:22:05

    Não importa a droga que Danilo use, o que importa é mostrar o que "drogas" fazem com a vida de uma pessoa e com sua familia...É muito triste para a mãe, e principalmente quando o pai não dá apoio nenhum, não ajuda a resolver um "problemão" como este...acho que o autor está mostrando muito bem todos os efeitos e consequências das drogas dentro de um lar...Fazia mais ou menos uns doze anos que eu não assitia novela, mas esta estou gostando muito. Tem também o caso da Clara e irmã, mostra a realidade, as vezes é alguém da propria familia (no caso delas, a avó) que "joga" as meninas na prostituição (infelizmente, acontece muito...) A Bete Gouvea, apesar de ter criado mal os filhos(muito mimados), ela dá um exemplo de força e determinação para resolver os problemas da familia, para mim, ela é uma "super mãe".E a parte cômica é "demais" também (Clô e familia) A Irene Ravache está perfeita, aliás, comecei a assistir a novela, quando vi uma cena dela...Morro de rir com ela, enfim, os cinco daquela casa são perfeitos.... Tem de tudo um pouco na novela, e a gente acaba sempre tirando alguma lição para a vida da gente. O autor está de parabéns!!!

  9. luiz roberto

    17/09/2010 08:11:14

    Olha a abordagem é sem dúvida interessante,mas poderia mostrar o envolvimento da familia nessa historia toda.

  10. Elaine

    17/09/2010 07:08:01

    Bom... eu adoro todas as novelas da Globo, desde criança sempre assisti, mas a um te,po atrás não estava acompanhando como hoje acompanhp a Passione...pela que o Horário Politico atrapalha um pouco...Eu já vivi uma situação com um ex-namorado a uns 5 anos atrás, na época tinhamos 16 anos, ele consumia todos os tipos de droga, eu quase entrei nessa, mas só experimentei maconha e decidi que não era bom pra minha vida, mas ele já era usuário desde os 14 anos, tão logo se envolveu com crack. Passamos por várias situações que, depois de muito esforço, eu desisti. Ele não queria parar, dizia que gostava, então fui cuidar da minha vida, pois eu havia deixado tudo por ele, mas a droga infelizmente devastou nosso relacionamento e depois de 8 anos juntos, nos separamos. No começo confesso que foi muito dificil. Mas hoje ele se recuperou, se casou com uma outra pessoa e vive uma vida totalmente diferente, até que isso acontecesse precisou chegar no fundo do poço!

  11. Elaine

    17/09/2010 07:06:25

    Bom... eu adoro todas as novelas da Globo, desde criança sempre assisti, mas a um te,po atrás não estava acompanhando como hoje acompanhp a Passione...pela que o Horário Politico atrapalha um pouco...Eu já vivi uma situação com um ex-namorado a uns 5 anos atrás, na época tinhamos 16 anos, ele consumia todos os tipos de droga, eu quase entrei nessa, mas só experimentei maconha e decidi que não era bom pra minha vida, mas ele já era usuário desde os 14 anos, tão logo se envolveu com crack. Passamos por várias situações que, depois de muito esforço, eu desisti. Ele não queria parar, dizia que gostava, então fui cuidar da minha vida, pois eu havia deixado tudo por ele, mas a droga infelizmente devastou nosso relacionamento

  12. Mariella Santos

    17/09/2010 05:21:25

    Penso que a escolha do autor por explicitar o crack talvez seja pelo seu poder tão absoluto de destruição, comparado a outras drogas. Pelo que sei, é a que dá menos chance à recuperação: vicia rápido, destrói rápido e é muito barata. Seu uso se alastra veloz, o que pode ter levado o Sílvio de Abreu a priorizá-la.De resto, gosto bastante da novela, em especial do espaço às relações e conflitos amorosos entre pessoas maduras. Muito legal.

  13. Valter Nogueira

    17/09/2010 01:24:59

    A Globo só faz porcaria, novela horrível, ator sem talento, textos pobres. A cara de um país que não tem é exigente com nada.

  14. janaina

    16/09/2010 21:19:49

    A Dona Bete tem problemas sim... criou errado todos os filhos . Nenhum tem limite. Todos são mimados.

  15. janaina

    16/09/2010 21:18:09

    Estou adorando a novela, fazia mais de 20 anos que não acompanhava uma. Mas dessa vez, acho que o ritmo está bem dinâmico. Quanto às drogas, acho que está ótimo a abordagem, não precisa citar a droga, pois como muito que conheço, usam de tudo. O importante é dar barato, seja ele qual for. O que não dá para engolir é a Diana. O problema é que eu a vejo como uma menininha bonitinha, mimada pela família e amigos, mas que é tão "mau caráter" quanto a Clara. O que vejo é que uma teve oportunidade e a outra não. Mas o que me incomoda mesmo é que eu acho que a atriz que faz a personagem Diana é mimada na vida real e ela sempre faz as mesmas caras, os mesmos trejeitos etc. Não convence como mocinha, e nem como uma estudante jovem, ao que parece na casa dos 20, pois aparenta ter uns 38 anos. Sei lá... acho que a Clara é muito mais mocinha que a Diana.

  16. CRISPIM SANTOS

    16/09/2010 20:33:05

    A NOVELA ONDE O DANILO USA DROGA, ACHO QUE DEVERIA MOSTRAR O PODER DA DESTRUÇÃO DE QUEM USA SEM MASCARA, POR EXEMPLO ATE ONDE VAI A PESSOA QUE USA, COMO POR EXEMPLO, ROUBO, ASSASSINATO, PROSTITUIÇÃO, ONDE NÃO EXISTE, NENHUM APEGO A VIDA, A FAMILIA, AOS AMIGOS ENFIM A NADA, A TV DEVE MOSTRAR A REALIDADE MESMO QUE CHOQUE, QUEM SABE ASSIM MUITOS PAIS NÃO PASSE OBSERVAR MELHOR OS SEUS FILHOS E DA UMA ATENÇÃO MAIOR ANTES QUE O TRAFICANTE DÊ

  17. Margarida De Donato

    16/09/2010 17:41:51

    o problema vem sendo tratado equilibradamente. agora já está na hora de terminar, talvez pela morte de Danilo (o mais acertado). acho irrelevante a morte da jornalista, causaria maior impacto a morte da mãe de fred, por exemplo.igualmente dispensavel é a figura de mimi, além do ator não estar correspondendo, é um papel inócuo, não consegue prender. atenção! o nome mimi é apelido de domenico. no mais, parabens ao autor, intérpretes, e direção.Margot Donato

  18. Cesar

    16/09/2010 17:39:58

    pl.ç´p.

  19. Gustavo

    16/09/2010 13:41:54

    Lara, é engraçado dizer que nem todo usuário é viciado, mesmo se fumar todo dia!!! Eu também achava isso, até que, por me deixar levar comecei a usar cocaína todo final de semana... Sem perceber, por diversão, por brincadeira... E agora luto para que eu consiga ficar mais de uma semana sem usar... porque há exato um ano, eu não usava, e hoje já sinto a falta absurda que ela me faz... (mesmo que uma vez na semana).... Eu, particularmente, acredito que qual droga o Danilo esta usando, é o que menos importa... A questão é mostrar que cedo ou tarde, os efeitos negativos serão sentidos... e eles são sempre maiores que os positivos do início...

  20. Lara

    16/09/2010 12:54:30

    Nem todo usuario de droga fica viciado e chega no fundo do poço como sempre retratam nas novelas da Globo. Deveriam mostrar que pessoas normais, trabalhadoras e felizes podem fumar maconha diariamente, regularmente ou socialmente e ainda sim levam uma vida normal

  21. livia

    16/09/2010 12:34:26

    parabens pela forma como a novela vem conduzindo a trajetoria de um usuario de drogas,tomara que atraves desse personagem muitas pessoas se conscietizem um pouco da consequencia dessa droga e o estrago que ela vem trazendo a muitas familias,continue assim mostrando a realidade ,o foco e consequencia disso e nao prazer inicial que ela traz,mas principalmente o estrago que ela vem causando na vida de milhares de jovens e crinaças desse pais.

  22. Fátima

    16/09/2010 12:25:51

    Concordo com o texto, e poderiam também informar mais precisamente os cuidados e a atenção que os pais devem ter, principalmente nas buscas de auxilio para a reparação, isto vale também para o outro personagem o Gerson, que parece ser também um viciado em alguma coisa que ainda não está muito claro... e aliás se me permitem, parece que a Família Golveia é toda desvirtuada; não se encontra um equilibrado a não ser a D. Bete a "matrona" que por sinal trabalha muito muito bem!!!!!!Obrigada

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso