Blog do Mauricio Stycer

“Babilônia” termina com cenas ridículas, muitos clichês e nenhuma graça
Comentários Comente

Mauricio Stycer

Não pretendia voltar a escrever sobre “Babilônia”, mas o desfecho da trama me obrigou a retornar ao assunto. Não me lembro de um último capítulo de novela das 21h tão ruim desde “Fina Estampa”, em 2012.

A diferença é que a novela de Aguinaldo Silva pecou por uma única cena ridícula – uma passagem crucial, diga-se, a do naufrágio do barco onde estavam a protagonista Teresa Cristina (Christiane Torloni) e Pereirinha (José Mayer). O autor nunca se esqueceu do vexame e, dois anos depois do fim da novela, criticou o diretor Wolf Maia pela “patacoada“.

Já a história de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga exibiu cenas mal construídas no início ao fim do capítulo.

Para início de conversa, o que foi a solução do “quem matou?” O malvadão Otavio (Herson Capri) matou Murilo (Bruno Gagliasso) por ciúmes, depois de ver uma cena em que o agenciador de garotas de programa seduzia Beatriz (Gloria Pires) com segundas intenções.

Na véspera, no penúltimo capítulo, Otavio já havia protagonizado outra cena ridícula, ao mandar Osvaldo (Werner Schünemann) sequestrar Diogo (Thiago Martins) com o único objetivo de descobrir como o saltador foi capaz de seduzir Beatriz. Só rindo.

Pouco antes de Otavio ser desmascarado, Beatriz confessou diante de vários personagens ter matado Cristovão (Val Perré), mas os autores ignoraram a própria cena e, momentos depois, Inês (Adriana Esteves) foi condenada por este crime.

Em tom de galhofa, Aderbal Pimenta (Marcos Palmeira) estava sendo empossado como governador do Rio quando a Polícia Federal chega e anuncia aos gritos a sua prisão. Consuelo (Arlete Salles), mãe do político, indicada como vice-governador, assume o cargo.

Também foi pouca inspirada a solução dada às vilãs Beatriz e Inês. Elas foram colocadas numa mesma cela da prisão (óbvio demais), onde se estapearam, e depois fugiram juntas, num carro, percorrendo uma estrada de terra. Naturalmente, brigaram de novo e o veículo despencou de uma ribanceira com as duas dentro.

Muita gente achou que era cópia do filme “Thelma e Louise”, que termina dessa forma, mas vi também inspiração em um dos segmentos do filme “Relatos Selvagens”. Original a cena não foi.

Houve alguma ousadia no desfecho do triângulo entre Valeska (Juliana Alves), Norberto (Marcos Veras) e Clovis (Igor Angelkorte). Casada com o primeiro, a morena terminou sua participação na novela fazendo sexo oral no segundo.

O casal formado por Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) voltou a dar um beijo na boca, como no primeiro capítulo. Ivan (Marcello Melo Jr) e Sergio (Claudio Lins) também selaram a sua união com um beijo. Só pode no último capítulo?

A novela terminou com declarações de amor dos dois casais “do bem”, ambos em clima idílico e açucarado – Rafael (Chay Suede) e Lais (Luisa Arraes) e Vinicius (Thiago Fragoso) e Regina (Camila Pitanga).

O último capítulo, em resumo, pareceu escrito às pressas, sem cuidado, com soluções mal ajambradas (o caso de Otavio), muitos clichês (Inês e Beatriz) e sem graça alguma (Vinicius e Regina). Uma decepção ainda maior do que foi “Babilônia” ao longo dos seus 143 capítulos. Para esquecer.

Leia também
Provocativa e pretensiosa, “Babilônia” afastou-se do folhetim e fracassou
. “Caretice está ficando pior por conta da internet'', diz Fernanda Montenegro
. Confira os principais desfechos dos personagens de “Babilônia''
. Final de “Babilônia'' tem a pior audiência e fica atrás de antecessoras
. “Apesar de tudo, saí vitorioso'', diz Gilberto Braga após fim de “Babilônia''

O blog está no Twitter e no Facebook.


Grazi não “calou a boca” de ninguém; ela melhorou como atriz
Comentários 17

Mauricio Stycer

verdadessecretasgrazinamoradoVejo muita gente dizendo que Grazi Massaferra “calou a boca” de quem tinha preconceito de ver uma ex-BBB virar atriz. Vamos com calma. Grazi não era uma boa atriz quando começou.

Sem nenhum conhecimento sobre esse ofício ao deixar o reality show, em 2005, Grazi conquistou um lugar na Globo devido ao carisma que esbanjava e à enorme simpatia exibida durante o confinamento.

Nas suas primeiras participações em programas de humor na TV se mostrou insegura e fraca. Ao dar os primeiros passos em novelas, igualmente, não demonstrou maior talento. “Páginas da Vida'', “Desejo Proibido'', “Negócio da China'', “Tempos Modernos''… Você lembra da Grazi?

Mas a atriz perseverou. Acreditou que poderia melhorar. Estudou, se preparou, cresceu. Em “Flor do Caribe” (2013) foi possível ver o resultado do seu esforço — ela se saiu muito bem como uma das protagonistas.

verdadessecretasgrazitoplessEm 2014, como outros atores brasileiros já fizeram, Grazi passou 20 dias na Espanha, tendo aulas com o argentino Juan Carlos Corazza, um famoso treinador de elenco.

Fui um dos primeiros a elogiá-la no papel de Larissa, em “Verdades Secretas”. Está ótima na novela e merece todos os aplausos que está recebendo. Mas sem essa de “calou a boca” dos críticos ou de quem quer que seja – Grazi melhorou como atriz.

Cenas de “Verdades Secretas''

Cenas de “Verdades Secretas''

Leia também
Viciada em crack, Larissa chama atenção para dramas reais, diz Grazi
Nilson Xavier Grazi se destaca como a modelo drogada de “Verdades Secretas”
Cena de Grazi mostrando os seios em “Verdades Secretas'' causa furor na web

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.


“Escatologia, pornografia e sangue”, diz Ronnie Von sobre a TV brasileira
Comentários 93

Mauricio Stycer

“Escatologia, pornografia e sangue'', diz Ronnie Von sobre a TV brasileira

Aos 71 anos e com cinco décadas de experiência no mundo da música e da televisão, Ronnie Von se sente bem à vontade para fazer um duro diagnóstico sobre o que se vê atualmente nas telas: “A televisão hoje caminha por uma estrada de grandes equívocos. Escatologia, pornografia e sangue'' (veja acima).

Apresentador do talk show “Todo Seu”, na TV Gazeta, em São Paulo, há 11 anos, Ronnie Von deu entrevista ao “UOL Vê TV” esta semana. “A grande metástase hoje na TV brasileira é o raio da audiência. A briga por audiência não vai levar a lugar nenhum, a não a ser perda de conteúdo”, disse.

Sobre talk shows, observou que maioria hoje parece mais “show talk”. “Quem começou com isso foi o David Letterman”, diz. “O programa do Jô é igual”. Sobre a nova geração, criticou: “Alguns não sabem nada”. Ronni contou que odeia reality show. “Você enjaula aquelas pessoas e o pau come. É melhor ir no jardim zoológico”, disse.

Abaixo, alguns trechos selecionados da conversa e, no fim, a íntegra da entrevista.

Veja também
“Eu não tinha nada a ver com a Jovem Guarda'', diz Ronnie Von

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.


“Cúmplices de um Resgate” tem melhor início de novela no SBT em 13 anos
Comentários 10

Mauricio Stycer

cumplicesresgate2O sucesso de “Os Dez Mandamentos”, na Record, acabou deixando em segundo plano um ótimo resultado do SBT. A novela infantil “Cúmplices de um Resgate” é o mais bem-sucedido lançamento da emissora desde 2002, quando estreou “Pequena Travessa”.

Exibidos os primeiros 15 capítulos (entre 3 e 21 de agosto), a trama registrou média em São Paulo de 13,1 pontos. No Painel Nacional de Televisão (PNT), que consolida a audiência em 15 centros urbanos, “Cúmplices de um Resgate” alcançou no mesmo período 12 pontos de média.

“Pequena Travessa”, nas primeiras três semanas, registrou média de 16,2 pontos em São Paulo e 13 no PNT. Desde então, o SBT já levou ao ar 15 novelas, nenhuma com um início tão bom quanto o da atual trama infantil, adaptada por Iris Abravanel de um sucesso da Televisa mexicana.

Mesmo com estes bons números, “Cúmplices de um Resgate” tem ficado sempre em terceiro lugar, atrás da Globo (“Jornal Nacional”) e da Record (“Os Dez Mandamentos”). Por conta disso, a própria emissora raramente informa à imprensa os dados de audiência da novela. O levantamento aqui publicado foi feito em resposta a um questionamento meu.

“Cúmplices de um Resgate'' é a terceira novela infantil seguida que o SBT exibe, depois de “Carrossel'' e “Chiquititas''.

Como tantas outras produções do SBT, “Pequena Travessa” foi um remake de uma novela da Televisa, intitulada “Mi Pequeña Traviesa”. Protagonizada por Bianca Rinaldi e Rodrigo Veronese, foi ao ar entre 4 de novembro de 2002 e 15 de abril de 2003.

Veja também
. Íris Abravanel diz se inspirar em “Poliana” para escrever novelas do SBT
. Nilson Xavier Boa estreia de “Cúmplices…” mostra avanço nas novelas do SBT
. Após “Cúmplices…”, desafio do SBT é fazer uma novela infantil brasileira

O blog está no Twitter e no Facebook.


Apesar de tudo, cinco bons momentos de “Babilônia”
Comentários 24

Mauricio Stycer

Cenas de “Babilônia''

Cenas de “Babilônia''


A intensa campanha de lançamento e o eletrizante capítulo de estreia de “Babilônia” produziram uma expectativa enorme em relação ao retorno de Gilberto Braga ao horário nobre da Globo. A decepção que se seguiu foi, proporcionalmente, gigante.

“Babilônia” sofreu por suas qualidades e defeitos. Seus principais trunfos – os temas polêmicos que abordou – desagradaram parte do público, levando a Globo a exigir mudanças na novela. Por outro lado, a história se revelou pobre, sem grandes atrativos para ser seguida.

Esta combinação de problemas resultou, como era possível imaginar, em queda de audiência. “Babilônia” começou a cair no Ibope e a perder, com freqüência, para a novela das 19h30, “I Love Paraisópolis” – uma “humilhação diária”, nas palavras do autor.

Objetivamente, a novela termina como um “fracasso”. Tanto do ponto de vista de audiência quanto de recepção crítica, não há outra palavra para definir o resultado em seu conjunto. Seria injusto, porém, ignorar vários aspectos positivos de “Babilônia” – temas, personagens e situações que merecem ser lembrados.

Cito abaixo cinco bons momentos da novela também assinada por Ricardo Linhares e João Ximenes Braga. Caso você se lembre de outros, fique à vontade para comentar.

babiloniabeijoestelateresaO beijo: Talvez a cena mais polêmica de “Babilônia”, exibida no primeiro bloco do capítulo de estreia. O beijo entre Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) procurou passar a ideia de que aquele casal de idosas mantinha uma relação amorosa como outra qualquer. Parte do público, porém, entendeu a cena como uma agressão. O cartunista Ziraldo criticou Fernanda por “fazer apologia do afeto homossexual”. A atriz Regina Duarte considerou “precipitada” a forma como foi colocado o beijo, logo no primeiro capítulo. As duas ainda se casaram, mas, tirando um selinho, nunca mais se beijaram na boca na novela.

 babiloniaaderbalconsueloReligião e política: Por meio de dois personagens evangélicos, Aderbal Pimenta (Marcos Palmeira) e sua mãe, Consuelo (Arlete Salles), “Babilônia” discutiu um tema contemporâneo, a confusão entre religião e política. Aderbal representou o prefeito de uma pequena cidade, Jatobá. Populista, se fez passar por homem simples, tentando esconder da população que era rico. Despudoradamente corrupto, fez negócios escusos com parentes e empreiteiras. Infiel, traiu a esposa com várias mulheres. Consuelo o orientava do ponto de vista moral, com pensamentos racistas e homofóbicos. A hipocrisia de ambos causou desconforto.

babiloniamuriloaliceO amoral: Murilo (Bruno Gagliasso) foi um dos melhores personagens de “Babilônia” até se perder e virar um psicopata obcecado por matar o irmão de criação, Vinicius (Thaigo Fragoso). Ele vivia como agenciador de garotas de programa para homens ricos. Também lidava com pequenos traficantes de drogas e, bom de lábia, enganava a todos. Dissimulado, se fazia de vítima para a mãe, Olga (Lu Grimaldi) e para a namorada, Alice (Sophie Charlotte). Enquanto não foi podado pelos autores, Murilo permitiu a Gagliasso viver um grande papel na TV.

babiloniaivanHomofobia: Outra trama a sofrer percalços, a história de Ivan (Marcello Melo Jr.), ainda que modificada, permitiu ao público enxergar o preconceito arraigado contra homossexuais. Negro, morador do Babilônia e gay assumido, Ivan foi severamente hostilizado por outros personagens. Na reta final, os autores mostraram o seu atribulado romance com Sergio (Claudio Lins), um personagem que não tinha coragem de revelar a sua homossexualidade.

babiloniapaulaAdvogada negra: Ao ser promovida a sócia do escritório de Teresa, a advogada Paula (Sheron Menezzes) disse: “Sabe o que eu queria fazer com esse cheque? Esfregar na cara de todas as pessoas que riram de mim por eu ter entrado na faculdade pelo sistema de cotas''. A promessa de uma interessante personagem, porém, não se cumpriu. Paula deixou de morar no morro da Babilônia e se mudou para o “asfalto”, mas a sua história, como outras, não se desenvolveu e ficou pela metade do caminho.

Leia também
. “Babilônia” estreia dando “choques elétricos” no espectador
. Núcleo mais provocador de “Babilônia” mistura política e religião
. Colega que pede beijo gay no fim é pior que fundamentalista, diz Fernanda
. Boa cena de “Babilônia” chama a atenção pelo motivo errado
. Babilônia sofreu 'julgamento moral' em 'TV defasada', protesta autor

O blog está no Twitter e no Facebook.


Fogaça dá uma rara aula de culinária no “MasterChef”
Comentários 35

Mauricio Stycer

mastercheffogaca2Em competições de gastronomia na televisão, divertir o espectador é muito mais importante do que ensinar a cozinhar. No “MasterChef”, eventualmente, cozinheiros famosos, convidados da produção, dão algumas dicas aos candidatos. Mas o trio de jurados muito raramente mostra o próprio talento.

É uma situação estranha. Paola Carosella, Erick Jacquin e Henrique Fogaça vão completar duas temporadas à frente do programa, dando juízos a respeito dos esforços dos participantes, mas sem mostrar para o público o que sabem fazer melhor. Com exceção de quem já teve a oportunidade de frequentar algum restaurante comandado por eles, a maioria dos espectadores não faz ideia de como são na cozinha.

Nesta terça-feira (25), Fogaça deu uma rara – e interessante – aula de culinária. Reproduzir um prato de sua autoria foi a prova principal da noite. Com algum didatismo, ele explicou aos candidatos e ao público como preparar a iguaria. É uma situação que poderia ocorrer com maior frequência no “MasterChef Brasil”.

A aula de Fogaça pode ser vista nos primeiros cinco minutos do vídeo abaixo.

Em tempo: Jiang mais uma vez deu show de carisma no programa. Ensinou tai chi chuan (veja abaixo) em meio a uma prova, respondeu com humor às provocações de Jacquin e, como sempre, trocou letras ao falar português. Vai ser difícil esquecer do momento em que falou “pulê” em vez de purê.

O blog está no Twitter e no Facebook.


Com atraso, Xuxa descobre que rir de si mesma é bom para a imagem
Comentários 25

Mauricio Stycer

xuxahater
Ao longo de 32 anos de carreira, Xuxa Meneghel sempre zelou com mão pesada por sua imagem. O caso mais conhecido é o esforço que fez para a proibição de reapresentações do filme “Amor, Estranho Amor”, de Walter Hugo Khouri, no qual interpreta uma mulher que seduz uma criança.

A apresentadora já processou inúmeros veículos, incluindo a Record, por uso indevido de fotografias, além de ter tentado tirar do Google referências ao seu nome associadas a sexo e pedofilia.

Em 2009, irritada com piadas que ouviu sobre sua filha no Twitter, retirou-se da rede social com uma frase célebre: “fui vcs não merecem falar comigo nem com meu anjo”.

Por tudo isso, e mais um pouco, é surpreendente o esforço que Xuxa está fazendo para se mostrar uma pessoa que sabe rir de si mesma. “Pode tirar sarro que eu adoro”, avisou a apresentadora nesta segunda-feira (24), no segundo episódio de seu programa na Record.

Na estreia, Xuxa riu de uma piada que durava mais de 30 anos, quando deu bronca em uma criança no programa que apresentava na Rede Manchete. “Aham, senta lá, Claudia'', disse a então jovem apresentadora à menina. Claudia, na verdade, se chama Erica e falou do caso no auditório.

Nesta segunda-feira, Xuxa começou a atração mostrando o vídeo caseiro de uma mulher, chamada Vânia, falando bem mal dela e do programa. Em seguida, já com Vânia sentada no auditório (imagem no alto), conversou com ela e, ao final, a premiou com um cheque de R$ 10 mil. “Eu vou para o céu ou não vou?”, perguntou.

A conversa com Vânia, aliás, incluiu mais uma menção sobre religião, tema que teria sido proibido pela Record, segundo disse em entrevista. “Virou crente”, disse a mulher no vídeo, enquanto reclamava da apresentadora. “Primeiro, eu quero dizer que não sou crente, sou católica”, disse Xuxa.

XuxaacordandoEm outro momento, também para mostrar que sabe rir de si mesma, exibiu um vídeo em que simulava ser pega de surpresa na cama, acordando.

Mais tranquila do que na estreia, o que era de se esperar, a apresentadora também teve mais sorte com os convidados. Sabrina Sato, sempre engraçada, ainda que já tenha estado em todos os programas da Record, conseguiu fazer Xuxa gargalhar.

Zezé Di Camargo e Luciano, igualmente experientes em situações como esta, se saíram bem como convidados musicais da noite. Já Neymar deu entrevista a Xuxa para falar de seu trabalho beneficente em Santos.

xuxacontodefadasComo prometido, por volta da meia-noite, Xuxa estreou com Sabrina um quadro dedicado a falar de sexo, intitulado. “Conto de Fadas”. “Nossa intenção era colocar um 'o', mas não permitiram'', disse a apresentadora, enquanto uma rápida imagem mostrava o jogo de palavras sugerido por ela (ao lado). Assim como a vinheta que rapiramente mudou, a conversa sobre sexo mais prometeu do que cumpriu.

Xuxa encerrou o programa dizendo-se conformada em não conseguir números muito expressivos no Ibope. “Se eu não alcançar os números que muita gente quer que eu alcance, não tem problema, pois eu já alcancei o amor de vocês. É isso que importa'', observou. Também pode melhorar bastante o programa.

Em tempo: O “Programa Xuxa Meneghel'' registrou média de 7,2 pontos no Ibope, ficando em situação de empate técnico com o SBT, que marcou 6,9 no horário. Há uma semana, na estreia, a apresentadora da Record obteve 10 pontos.

Veja também
Para promover Xuxa, Record lembra que apresentadora apóia casamento gay
Xuxa estreia sem assunto, mas com boas piadas de Twitter e ataque à Globo
Xuxa estreia quadro picante e diz que já fez sexo em público várias vezes

O blog está no Twitter e no Facebook.


“Super Chef”, de Ana Maria Braga, é o programa certo na hora errada
Comentários 29

Mauricio Stycer

superchefelenco2015

A culinária na TV começou como prestação de serviços, com lições para espectadoras de meia idade, mas descobriu sua maior vocação como fonte de entretenimento, por meio de concursos e disputas que agregam os mais variados segmentos de espectadores.

O “Mais Você”, de Ana Maria Braga, exemplifica bem esta transição. No ar desde 1999, o programa sempre apostou em culinária. Depois de alguns anos, porém, as lições e dicas de Ana Maria passaram a ter a companhia de competições de cozinha.

Em 2008, o programa estreou o “Super Chef”. Inicialmente, uma disputa entre gente interessada em faturar um prêmio de R$ 50 mil, o quadro foi alterado, em 2012, para uma sucessão de provas entre famosos – artistas da própria Globo, atletas e músicos conhecidos.

É neste formato que o “Super Chef Celebridades” estreou a sua quarta edição agora em agosto. Divertido, bem produzido, com um bom elenco, o reality segue um formato já consolidado, sem maiores surpresas.

superchefdivulgacaoA principal novidade está fora do Projac. Trata-se da descoberta de que programas deste tipo fazem sucesso no horário nobre. Primeiro com o “Master Chef”, lançado pela Band em setembro de 2014, depois com o “Cozinha Sob Pressão”, exibido pelo SBT a partir de outubro do ano passado, as competições de culinária se tornaram uma febre na televisão.

O sucesso foi tanto que Band e SBT se apressaram, em 2015, para lançar a segunda edição de seus programas ainda no primeiro semestre do ano. Empolgada com o resultado comercial, a emissora de Silvio Santos já colocou no ar uma outra competição, o “Bake Off”, dedicada a sobremesas. A Record lançará no próximo mês a sua, o “Cake Boss”. E a Band já prepara um “MasterChef Kids''.

Neste contexto atual, desconfio que a Globo está apresentando o programa certo na hora errada. A emissora desperdiça este novo público, seduzido pelas competições de culinária, ao manter o seu bom “Super Chef” no período da manhã. O quadro seria uma ótima alternativa, por exemplo nas noites de domingo. Fica a dica.

Veja também
Ana Maria Braga e Fiuk fazem as pazes no “Mais Você''

O blog está no Twitter e no Facebook.


Para promover Xuxa, Record lembra que apresentadora apóia casamento gay
Comentários 25

Mauricio Stycer

xuxafolha2

Um anúncio de página inteira, publicado na “Folha”, neste domingo (23), vai lembrar que Xuxa festejou a legalização, pela Suprema Corte norte-americana, do casamento entre pessoas do mesmo sexo nos Estados Unidos.

xuxafolhaO anúncio reproduz a mensagem que a apresentadora postou no Twitter e no Facebook, no dia 26 de junho, junto com a sua imagem alterada com as cores do arco-íris: “Vamos pintar o mundo com as cores do arco-íris… E viva o amor”, escreveu Xuxa, juntando-se a um time de celebridades brasileiras que festejaram a decisão (veja no álbum abaixo).

Abaixo da imagem, a emissora diz: “A Xuxa que não foge de polêmicas. Se você não conhece, assista na Record”.

A publicidade chama especialmente atenção porque a emissora sempre tratou com discrição a causa do movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) no Brasil. E a Igreja Universal, cujo dono, Edir Macedo, é dono da Record, sempre se posicionou abertamente contra casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Ao pé do anúncio, ainda há uma outra mensagem curiosa: “Você acha que conhece a Xuxa? Então pense de novo, ou melhor, assista de novo. Um programa em que a Xuxa vai mostrar a Xuxa como ela é”.

Cercada de muita expectativa, a estreia do “Programa Xuxa Meneghel'', há uma semana, rendeu uma audiência de 10 pontos, abaixo do que se esperava.

Leia também
Xuxa estreia sem assunto, mas com boas piadas de Twitter e ataque à Globo

O blog está no Twitter e no Facebook.


Troféu Sinceridade: Jurado do SBT só não pode usar uma palavra para elogiar
Comentários 1

Mauricio Stycer

Levantatejurados2
Jurado do quadro “Levanta-te”, Decio Piccinini classificou como “fantástica” a apresentação de uma candidata-mirim no último domingo (16). Silvio Santos respondeu rápido: “Esse programa aqui é no mesmo horário do ‘Fantástico’. Então não fale aqui 'fantástica' porque lembra da concorrência''. O dono do SBT estava brincando, é claro, mas falou a verdade sobre o horário do programa da Globo.

O blog está no Twitter e no Facebook.